Manutenção de veículos eletrificados foi tema do Circuito Sindirepa-SP


No mês da campanha Novembro Azul, o evento do Sindirepa-SP, que teve como um dos enfoques veículos eletrificados, também destacou consultorias e programas voltados à gestão da oficina, bem como o desenvolvimento de competências comportamentais para a saúde dos negócios
Manutenção de veículos eletrificados foi tema do Circuito Sindirepa-SP

A terceira edição do 1º Circuito Sindirepa-SP “Transforme sua Empresa”, que lembrou a campanha do Novembro Azul 2023, que tem como objetivo a prevenção do câncer de próstata, realizado no dia 29 de novembro, na Escola SENAI “Conde José Vicente de Azevedo”, em São Paulo-SP, reuniu mais de uma centena de participantes que assistiram a palestras sobre a determinação de gerar resultados positivos, gerenciamento de emoções e gestão de negócios, jornada da transformação digital e a habilitação dos profissionais na manutenção de veículos elétricos. 

Durante a programação, Vanessa Martins, diretora do Sindirepa-SP, que deu boas-vindas a todos, representando o presidente Antonio Fiola, que não pode comparecer ao evento, também ministrou a palestra “Sem gerenciar emoção não faz gestão”, onde destacou que para gerenciar os negócios é fundamental desenvolver competências comportamentais, além das habilidades técnicas. “É preciso ter inteligência emocional, autoconhecimento, empatia, automotivação, habilidades sociais, bem como inteligência espiritual”, afirmou a diretora da entidade, explicando que a inteligência espiritual está ligada ao propósito de vida, essência, à alma. Ressaltou também a importância de servir, da gratidão, do abraço, do amor e da humanização nas empresas para a consolidação de um negócio saudável.

Vanessa Martins

Caroline Rocha, gerente de pós-vendas do Grupo Osten, anunciou parceria entre a empresa e o Sindirepa-SP, projeto piloto de consultoria. Contou também sua trajetória profissional, destacando sua determinação em gerar resultados positivos para sua vida e para as empresas onde atuou. Após atuar pelo grupo Souza Ramos, onde ficou de 2005 a 2021, passando de aprendiz para assistente, analista e gerente, tendo também se formado, casado, feito pós-graduação e participado da ABRADIF – Associação Brasileira dos Distribuidores Ford, Caroline abraçou a oportunidade no Grupo Osten. “Na minha carreira, nunca fiquei presa a cargos e sempre aproveitei as oportunidades e fui me desenvolvendo ainda mais”, comentou. Foi para o Grupo Osten em 2022, onde se tornou a melhor gerente de pós-vendas do Brasil, vencendo o Game of Talents, campanha nacional da Jeep. “Aprendi que não podemos generalizar o atendimento, o sucesso depende da personalização”, concluiu. 

Carlos E. Alves

Carlos E. Alves, professor especialista em tecnologia do SENAI, destacou o programa jornada de transformação digital para oficinas independentes, onde a instituição e também o SEBRAE prestam consultoria, descobrindo em que etapa a empresa está e apresentando soluções para atingir melhores resultados. A jornada vai desde o diagnóstico, passa pela estratégia de redefinição do negócio, otimização de processos, mapeamento, automação, digitalização, integração e indústria inteligente. Segundo o especialista, a consultoria, que tem duração de 2 a 3 meses, é voltada para micros, pequenas e médias empresas, com CNPJ industrial, enquadradas nas categorias de faturamento anual, e com planta no estado de São Paulo.

Victor Lino Nery Lopes apresentou o programa ALI Produtividade, que leva inovação e promove melhorias da gestão, com foco em produtividade, aumento no faturamento e redução de custos, destinado às micros e pequenas empresas dos setores de serviços, comércio e indústria.

Victor Lino Nery Lopes

Grace Kelly Q. Ganharul, professora do SENAI-SP, falou sobre a manutenção de veículos elétricos e híbridos e a habilitação dos profissionais. Após apresentar os diversos tipos de veículos elétricos – HEV (híbrido elétrico), PHEV (híbrido plug-in), BEV (elétrico) e FDCEV (elétrico movido à célula de combustível), disse que, apesar de não haver uma norma sobre o assunto, pois ainda está em estudo. Há quatro níveis de qualificação para trabalhar em veículos em pós-venda com sistemas de alta tensão – DGUV209-093, com relação S – que atua em componentes de alta tensão na solução de problemas e substituição de componentes ativos; 1S – que pode realizar descomissionamento (desenergizado) e comissionamento e atuar em sistemas de alta tensão em estado livre tensão; 2S – instruída para trabalhar em serviços de montagem em geral, com veículo descomissionado; e 3S – que qualificada para operar o veículo.

Grace Kelly Q. Ganharul

Ressaltou que entre as principais características de veículos eletrificados estão as linhas de alta tensão na cor laranja no espaço do motor ou por baixo da carroceria, adesivos de aviso de alta tensão e cluster de instrumentos (painel e botão de emergência). “Todos os componentes de alta tensão possuem etiqueta que indica risco elétrico, assim como todos os cabos do sistema de alta tensão são na cor laranja”, enfatizou a professora, recomendando especial atenção para não ter contato com esses componentes na cor laranja já que pode ocorrer choque elétrico, arco elétrico, campos elétricos e eletromagnéticos. Para os profissionais da manutenção desses veículos, há a necessidade de uso de luvas, sapatos e caixa de ferramenta com isolamento até 1000 volts, face shield, entre outros equipamentos de segurança.

Entre as regras de segurança, citou isolar a fonte de energia (desenergizar), garantir que não vai ocorrer reenergização, medir a ausência de tensão, verificar o aterramento e o curto-circuito e cobrir ou bloquear os componentes da linha viva. Também é preciso implantar box específico de trabalho na oficina para a manutenção dos veículos elétricos, com alguns requisitos, como 20 metros quadrados, bem como box de quarentena.

O futuro dos veículos eletrificados no Brasil – Segundo Grace, os veículos elétricos já são uma realidade. Desde 2012, 158.678 emplacamentos de veículos eletrificados foram realizados. No primeiro semestre de 2023, 32.239 VEHs foram emplacados, de 38 fabricantes. Os BEV representam, atualmente, 10,7% da frota brasileira. 

Para 2030, a previsão é que 22% da frota brasileira sejam de veículos eletrificados, e, em 2050, 11% de BEV, 61% de híbridos e 28% de motor a combustão interna. 

Treinamento de profissionais da manutenção – Grace destacou, para iniciar a capacitação, o treinamento on-line e gratuito do SENAI – Veículos Elétricos e Híbridos, de 20 horas. Há também um treinamento presencial para montadoras e sistemistas – Técnicas de Manutenção em Sistemas e Componentes Desenergizados em Veículos Eletrificados, de 40 horas, que, futuramente, será disponibilizado aos profissionais da manutenção. 

Ao final do evento, foram realizados diversos sorteios de diversos brindes para os participantes.

O Circuito Sindirepa-SP conta com o patrocínio das seguintes empresas:

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO