Vendas de veículos caem na 1ª semana de pacote de incentivo às montadoras


Até sexta-feira, 9, volume de unidades licenciadas chegou a 34 mil unidades, 8% a menos sobre mesmo período em maio
Vendas de veículos caem na 1ª semana de pacote de incentivo às montadoras

Por Bruno de Oliveira

Os primeiros dias de vendas de veículos após o anúncio do pacote de incentivo às montadoras não foram muito promissores. Até sexta-feira, 9, segundo dados do Renavam acessados pela reportagem, os licenciamentos realizados no país somaram 34,4 mil unidades, 8% a menos do que em igual período em maio.


LEIA MAIS:

– Governo Federal assina MP de socorro às montadoras
– Pacote de incentivos: montadoras têm até o dia 12 para homologar veículos
– Renault, VW e Jeep baixam preços depois das novas medidas do governo


Uma fonte ligada aos concessionários disse que a expectativa é baixa em termos de procura por veículos, pelo menos nos primeiros quinze dias de vigência do programa federal de descontos no preço de veículos zero quilômetro.

“Não há filas de espera, o cenário de crédito ainda é grave”, comentou o interlocutor.

Mesmo com incentivos, venda de carros populares segue devagar

A análise dos primeiros dias de junho deixa clara também a, por ora, baixa participação dos modelos com preço abaixo dos R$ 120 mil entre os dez mais vendidos. Apenas Volkswagen Polo (1,2 mil unidades) e o Chevrolet Onix (845 unidades) figuram nessa lista, dominada por modelos SUVs com valor acima do teto estabelecido pelo programa federal.

Vale lembrar que o incentivo às vendas de carros populares, com preços mais acessíveis, foi o motivo inicial para toda a discussão que culminou no pacote de socorro à indústria automotiva.

“Tal como esperado, os altos juros e a falta de liberação de crédito pelas instituições financeiras provocaram poucos efeitos visíveis neste primeiro momento nos emplacamentos dos veículos de entrada. Claro que devemos aguardar um pouco mais, pois a liberação de crédito para quem busca este tipo de veículo costuma demandar tempo”, disse o consultor Milad Kalume Neto, da Jato Dynamics.

Queda no preço do veículo

Tão logo entrou em vigência o pacote do governo, em 6 de junho, parte das montadoras instaladas no país divulgaram tabelas de preço reajustadas, como foi o caso da Renault, Volkswagen e Stellantis, com a marca Jeep.

A Renault diminuiu o preço do Kwid. A versão Zen, que custava R$ 68.990, passou a custarr R$ 58.990, uma redução de mais de 14%. No caso da Stellantis, o preço da versão 1.3 do Jeep Renegade caiu de R$ 125.990 para R$ 115.990, cerca de 8% de abatimento.

Na VW, os descontos vão do Polo Track até o T-Cross de entrada, passando por Virtus e Saveiro. No caso do hatch compacto, que custava R$ 82.290, baixou para R$ 74.990 (9% menos). Já a configuração Sense do SUV saiu de R$ 116.550 para R$ 107.550 (7% menos).

Entre os modelos seminovos, segundo levantamento da Mobiauto, houve uma queda média dos preços de cerca de 5%, dentre modelos de entrada fabricados entre 2020 e 2022.

“Tivemos modelos de altíssima procura, como o Hyundai HB20S, modelo 2020, que caiu menos de 1%. Já um Chevrolet Joy, que está fora de linha e possui menor atratividade para a revenda, já despencou em mais de 10% em um único mês”, contou o CEO Sant Clair de Castro Junior.


– Faça a sua inscrição no #ABX23 – Automotive Business Experience


As montadoras deverão entregar ao Governo Federal até esta segunda-feira, 12, a lista de modelos que pretendem habilitar ao programa de descontos, bem como o volume de veículos que esperam deixar à disposição do programa. Há um limite de R$ 10 milhões por fabricante.

Quem consumir até 70% destes recursos poderá requerer novas habilitações, com valores entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões. Nesses requerimentos, deverá constar a relação de carros já vendidos com desconto e os respectivos valores.

Fonte: Automotive Business

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO