Programa LOJA LEGAL promete levar varejo de autopeças a novo patamar


Gratuito e aberto a empresas de todo o Brasil, iniciativa é fruto de uma parceria entre Sincopeças, Sebrae e G&B Distribuidora
Programa LOJA LEGAL promete levar varejo de autopeças a novo patamar

Por Lucas Torres

Na quinta-feira, 27/04, os varejistas de autopeças presentes na Automec tiveram a oportunidade de conhecer uma iniciativa capaz de levar seus negócios a um outro nível a partir de um único investimento: vontade e comprometimento.

Em palestra realizada na Arena de Conteúdo, o presidente do Sincopeças-SP, Heber Carvalho, o consultor de negócios do Sebrae, Reginaldo Oliveira, e o diretor da G&B Distribuidora, Antonio Carlos Beiram, apresentaram o Programa LOJA LEGAL e deram pontapé inicial para as inscrições na iniciativa conduzida pela parceria deste trio de organizações.

Ao conduzir a abertura do evento, Carvalho destacou a importância do evento não apenas pelo seu impacto na profissionalização das empresas do setor, mas também pelo fato de ser acessível a todos os varejistas interessados.

“O programa é 100% gratuito. Qualquer empresário do setor pode entrar no site do Sincopeças, ver as informações e se inscrever para este primeiro ciclo. Quero destacar também que ele está disponível para empresas de todo o Brasil, por isso, indico que vocês procurem o Sincopeças da região de vocês, eles podem ajudar”, comemorou o presidente da principal entidade do varejo de autopeças de São Paulo.

Heber Carvalho

Responsável em dar prosseguimento à apresentação, Oliveira iniciou o painel destacando que o programa faz parte de um esforço contínuo do Sebrae e Sincopeças para, em primeiro lugar, escalar a formalização das empresas do varejo de reposição – movimento que, segundo ele, aumenta significativamente as oportunidades de consolidação e crescimento.

Para além desta solução elementar, porém, o LOJA LEGAL busca solucionar outras dores que – entre questões simples e complexas – limitam o potencial de boa parte dos 62.153 comércios de autopeças espalhados pelo território brasileiro.

“Os negócios que eu já atendo possuem problemas das naturezas mais diversas. Exemplo disso é o fato de alguns deles terem dificuldades com a apresentação da fachada da loja física, outros com controle de estoque e uma capacidade de tomar uma decisão útil e objetiva sobre o tema a partir de indicadores”, pontuou o consultor, antes de complementar com questões de natureza ligadas ao ambiente digital: “Há ainda aqueles que não conseguiram consolidar suas empresas no online, seja para vender em um marketplace como o Mercado Livre, criar um e-commerce próprio ou ainda ganhar relevância nas redes sociais”.

Justamente por conta desse perfil diverso de dores do segmento é que os organizadores projetaram a iniciativa com ênfase especial em sua aplicabilidade sob medida para cada negócio – fugindo da simplificação pouco efetiva que significaria oferecer uma fórmula pronta e geral.

Dividido em cinco etapas, o LOJA LEGAL ancora todas as soluções na primeira etapa prática, a do Diagnóstico, já iniciada após sua apresentação, realizada no podcast Automotivamente, comandado por Beiram.

“As etapas tem duração média de três meses e são independentes entre elas.  A ordem na qual vão seguir está ancorada no diagnóstico. Afinal, é a partir dele que poderemos apontar aquilo que deve ser priorizado e as áreas nas quais a empresa já está fazendo um trabalho efetivo”, afirmou Oliveira.

Reginaldo Oliveira

Confira as 5 etapas do Programa LOJA LEGAL

Etapa 1 – Apresentação

A apresentação do Programa LOJA LEGAL para todo mercado automotivo se deu, inicialmente, por meio do podcast Automotivamente, comandado por Beiram, que fará entrevista com técnicos do Sebrae para apresentação detalhada do programa e divulgação do link para adesão das lojas interessadas. O chamamento para adesão ao programa também será feito por meio das plataformas e mídias digitais do Sincopeças-SP, do Sebrae e da G&B, que inclusive acionará seus representantes comerciais para essa captação.

Etapa 2 – Diagnóstico

Aqui, as empresas que fizerem a adesão ao programa começam a receber um diagnóstico completo voltado a analisar as principais necessidades no âmbito da gestão empresarial.

Etapa 3 – Capacitações

Com base nas lacunas identificadas no diagnóstico, o Sebrae indica uma série de palestras, oficinas e cursos on-line para os participantes, além – é claro – de consultorias personalizadas para estabelecer um planejamento voltado a sanar essas questões.

Etapa 4 – Avaliação dos resultados

Aqui é onde os agentes envolvidos no Loja Legal avaliam o impacto do programa, sobretudo no âmbito do aumento do faturamento e na redução de custos. A ideia é utilizar critérios rígidos, que avaliem todo o balanço da empresa, para identificar se as questões identificadas no diagnóstico tiveram melhoria significativa após o trabalho conduzido pelos consultores do Sebrae.

Etapa 5 – Evento de encerramento

Finalização do ciclo com apresentação dos casos de sucesso.

Customização do programa LOJA LEGAL também terá o dedo dos participantes

Além de oferecer soluções sob medida para as necessidades individuais de cada uma das empresas participantes, o programa promovido pela parceria entre Sincopeças-SP, Sebrae e G&B Distribuidora também dá autonomia para que os próprios participantes escolham o nível de detalhamento com o qual desejam se envolver.

Isso mesmo. Pelo fato de pedirem como contrapartida apenas o comprometimento pleno das empresas participantes, os organizadores dão aos varejistas a opção de rejeitarem parte das recomendações dos consultores – de modo que eles não se desanimem com a quantidade de ações e possam estar focados 100% naquelas que julgarem centrais.

“Consideramos o programa um presente para os empresários do setor. Apesar disso, sabemos que a rotina do varejo é puxada e que nem todos os gestores têm tempo hábil para cumprir a nossa agenda de recomendações em sua totalidade. Daí a ideia de colocar alguns pontos como optativos – desde que, na avaliação de nossos consultores, esses pontos não comprometam significativamente a efetividade do programa”, explicou Oliveira.

Primeira empresa do setor de autopeças a apoiar o LOJA LEGAL como parceira oficial, a G&B destacou que a sua decisão de se unir ao programa se baseou em dois critérios fundamentais: propósito e credibilidade.

Antonio Carlos Beiram

No âmbito do propósito, Beiram salientou que a distribuidora tem como foco principal a relação com as pequenas e médias empresas e acredita que a contribuição para a evolução desses players irá gerar resultados diretos na evolução do aftermarket como um todo.

“Vemos que o programa faz todo sentido para uma loja que quer se desenvolver, crescer e participar dos novos tempos do nosso mercado. É preciso, por exemplo, que toda pequena loja esteja apta a vender em todos os canais e não se limitar apenas ao balcão”, ressaltou o diretor da G&B.

Já no que diz respeito ao fator da credibilidade, Beiram chamou a atenção para o peso que a chancela de instituições de peso como Sebrae e Sincopeças confere a uma iniciativa como essa. “Estamos muito felizes de podermos estar junto de parceiros tão sérios e reconhecidos como esses”, finalizou.

Fonte: Novo Varejo

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO