Categories • Automotivas

Acima de 110%, Peugeot e Caoa são as marcas que mais cresceram em 2021

Não há dúvida que o ano de 2021 foi desafiador, como as montadoras gostam de dizer, devido principalmente à escassez de semicondutores que reduziu a produção de algumas montadoras. O que foi um problema para algumas, porém, revelou ser uma oportunidade para outras, como mostra a análise das vendas de veículos leves no acumulado entre janeiro e novembro deste ano, segundo a Fenabrave.

No ranking das 20 maiores marcas no mercado brasileiro, duas delas apresentaram um desempenho impressionante, com um crescimento nas vendas acima de 110% quando comparado com os 11 primeiros meses de 2020: Peugeot e Caoa Chery.

A Peugeot emplacou neste ano 26.044 unidades contra as 11.538 do ano passado, o que representa um aumento de 125,7%. Na sequência, veio a Caoa Chery, com um crescimento de 113,2%, ao saltar de 16.910 para 36.048.

No terceiro lugar desse ranking, o destaque foi a Citroën, que passou de 12.604 veículos comercializados em 2020 para 20.267 vendidos neste ano, o que representa um acréscimo de 60,8%.

Destaque para a Stellantis

É bom lembrar que essas três montadoras são marcas que têm um volume relativamente pequeno, o que facilita uma grande variação nas vendas. Isso só reforça, no entanto, o bom trabalho feito pelas próximas duas marcas. A Jeep conseguiu crescer 42,3% neste ano, ao elevar suas vendas de 95.308 para 135.598, enquanto a Fiat teve uma elevação de 40%, emplacando 395.581 neste ano frente aos 282.094 do ano anterior.

Não por coincidência quatro das cinco primeiras marcas desse ranking são do grupo Stellantis (Peugeot, Citroën, Jeep e Fiat), o que explica o otimismo da liderança da empresa, que anotou no Brasil e na América do Sul um de seus melhores desempenhos globais, devendo fechar 2021 com lucratividade (leia aqui).

Se por um lado, há montadoras que têm motivos de sobra para comemorar um desempenho tão favorável, outras marcas fazem questão de esquecer o ano que está acabando. 

Para GM e Ford, um ano para esquecer

Como era de se esperar, a Ford foi a que registrou a maior queda nas vendas, já que ela anunciou logo no início deste ano que fecharia suas três fábricas no Brasil, deixaria de produzir modelos de volume como Ka e EcoSport e passaria apenas a importar veículos com preço médio bem superior ao que praticava. 

Com isso, a Ford amargou uma redução de 71,4%, caindo dos 122.825 veículos de 2020 para as atuais 35.158 unidades.

A GM é outra marca que gostaria de esquecer 2021, principalmente por ter paralisado sua fábrica de Gravataí (RS) por cinco meses por falta de semicondutores, além de manter a unidade de São Caetano do Sul (SP) fechada por quase dois meses. Portanto, não surpreende que suas vendas tenham caído das 296.339 unidades no ano passado para os atuais 208.432, indicando uma redução de 29,7%.

Veja abaixo a variação das vendas em 2021 das 20 maiores marcas do mercado brasileiro.

RANKING DO CRESCIMENTO DE VENDAS EM 2021

1º) Peugeot: 125,7%
2º) Caoa Chery:  113,2%
3º) Citroën: 60,8%
4º) Jeep: 42,3%
5º) Fiat: 40%
6º) Toyota: 26%
7º) BMW: 22,3%
8º) Mitsubishi: 17,6%
9º) Hyundai: 14,3%
10º) Volvo: 9,8%
11º) Nissan: 8,4%
12º) Land Rover: 5,7%
13º) Honda: -0,2%
14º) Renault: -2,5%
15º) Volkswagen: -5,3%
16º) Audi: -8%
17º) Kia: -17,8%
18º) Mercedes- Benz: -22,7%
19º) Chevrolet/GM: -29,7%
20º) Ford: -71,4%
Fonte: Fenabrave

Fonte: Automotive Business

You May Also Like