De olho no mercado de reposição, EATON tem aumento de 10% na venda de caixas remanufaturadas


Com o aumento de 10% nas vendas de produtos remanufaturados, a EATON otimiza sua produção em 60% após digitalização do processo
De olho no mercado de reposição, EATON tem aumento de 10% na venda de caixas remanufaturadas

Prestes a completar um ano no mercado, o Portal de Logística Reversa da EATON, plataforma de gerenciamento do processo que envolve a linha ECOBox® – caixas de câmbio remanufaturadas da empresa – tem mostrado como a digitalização facilitou um fluxo complexo de logística, garantindo mais segurança, transparência e satisfação ao cliente ao longo das etapas. Desde que lançado, as pendências com cascos despencaram em 60%, enquanto o retorno deles subiu para 30%.

Segundo Felipe Bolognesi, gerente de produtos e inteligência de mercado do Aftermarket da EATON, o portal possibilita um controle mais amplo, facilitando a gestão e o cumprimento de cada fase. “O processo de remanufatura envolve o fabricante, distribuidor e o cliente final, que pode ser uma oficina, ou mesmo uma frota. A devolução do casco, que é a caixa retirada do caminhão e que será substituída, é uma etapa importante desse fluxo e que garante um desconto relevante, com um preço mais competitivo a toda essa cadeia – por isso é tão essencial que seja cumprida. A digitalização desse processo trouxe facilidade e disciplina, e gerou mais confiança ao cliente, que agora acompanha virtualmente o status e prazos de cada componente”, explica. Em 2021, o Aftermarket da EATON apontou um aumento de 10% nas vendas das remanufaturadas, considerando a ECOBox® e as Embreagens.

Veja também:

Solucione os problemas crônicos do câmbio GM 6t30

Trancos no câmbio automático, tem solução fácil?

De acordo com Thiago Sabino, coordenador de projetos da Morelate, distribuidora de peças para caminhões e ônibus, o momento desafiador da pandemia e escassez de peças levaram os clientes a optarem pelas remanufaturadas. “O mercado vem buscando baixar o custo, mas sem perder a qualidade. Com isso, as remans entram como a solução perfeita, pois entregam preços mais competitivos com o mesmo padrão de uma peça nova. Percebemos que ao longo desse período, muitos clientes que até então tinham uma certa resistência por esses componentes, agora comprovaram sua qualidade. Acreditamos que essa procura deve continuar mesmo após essa fase de dificuldade com novas peças”, comenta.

Veja a seguir como classificar o casco da transmissão ECOBox® para a remanufatura

Classificação por níveis e padrão de qualidade

Para garantir mais transparência e competitividade ao processo, a EATON conta com uma classificação dividida em três níveis de qualidade do casco: A, B e C. Sendo “A” o nível em que o casco está em melhor condição e “C” o que exige substituição de mais componentes – clientes com cascos em melhores condições pagam menos pela transmissão remanufaturada. A primeira avaliação é realizada pelo mecânico, através de um checklist que ele deve obter em qualquer distribuidor ou Posto de Serviço Autorizado EATON. A empresa busca o casco no próprio distribuidor e reavalia a caixa na sua fábrica, seguindo os mesmos critérios, para confirmar a condição do componente recebido. “A ECOBox® passa pelos mesmos testes de uma caixa nova e, além disso, tem o mesmo tempo de garantia, que é um ano. Componentes de desgastes, como rolamentos, vedadores e anéis-trava são sempre trocados. O processo contempla padrões rígidos de análises e o objetivo final é que o produto tenha exatamente a mesma qualidade de uma nova, que acabou de ser fabricada”, finaliza Bolognesi.

Fonte: Canal da Peça (Crédito foto: reprodução)

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO