COP-26: São Paulo se compromete a proibir venda de carros a combustão a partir de 2040


Acordo não representa obrigação legal; montadoras como Ford e GM também assinaram (Victor Bianchin, AB)
COP-26: São Paulo se compromete a proibir venda de carros a combustão a partir de 2040

A cidade de São Paulo é um dos signatários de um acordo que prevê que, a partir de 2040, sejam comercializados apenas veículos cuja fonte de tração não emita gases de efeito estufa na operação.

O acordo foi assinado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-26), que ocorre em Glasgow, na Escócia. Entre os signatários do acordo, que foi assinado ontem, 10 de novembro, estão 40 administrações públicas, cidades, estados e províncias. São Paulo é a única cidade brasileira participante na lista, que inclui Nova York, La Paz, Buenos Aires, Roma, Barcelona e outras.

O acordo, chamado de Glasgow Declaration on Zero Emission Cars and Vans, também se estende a países (o Brasil, os EUA e a China não assinaram), montadoras, instituições financeiras, investidores, empresas com grandes frotas e plataformas de mobilidade compartilhada.

Entre as montadoras, assinaram o acordo: Ford, GM, Jaguar, Mercedes-Benz, Volvo, Avera, BYD, Etrio, Gayam, Mobi e Quantum Motors.

As que não assinaram foram: BMW, Honda, Stellantis, Toyota e Volkswagen.

O acordo não é juridicamente vinculante, ou seja, ele não representa uma obrigação legal. No entanto, serve como um compromisso moral. O texto diz: “Coletivamente, nós nos comprometemos a apoiar uma transição global, igualitária e justa para que nenhum país ou comunidade fique para trás. Onde representamos mercados líderes, nós trabalharemos para fortalecer nosso apoio internacional a países em desenvolvimento, mercados emergentes e economias em transição”.

Fonte: Automotive Business

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO