Após investir R$ 200 milhões na fábrica, Hyundai vai fazer 210 mil carros


Renovação da linha compacta inclui robôs colaborativos e projeção aponta para a produção 210 mil unidades no ano (Por Fernando Miragaya, AB)
Após investir R$ 200 milhões na fábrica, Hyundai vai fazer 210 mil carros

Automação e novas ferramentas foram algumas das evoluções adotadas pela Hyundai para remodelar a linha HB20. A marca sul-coreana diz que investiu aproximadamente R$ 200 milhões na fábrica de Piracicaba (SP) para renovar a sua gama compacta, em um momento em que o hatch se consolida como automóvel de passeio mais vendido do país.


Leia também:
– Para sustentar liderança, Hyundai atualiza HB20 com visual comportado e mais segurança
– Hyundai confirma fábrica de motores em Piracicaba em 2022


O aporte foi usado especialmente para melhorar a automação da unidade do interior paulista. Foram adquiridos novos robôs colaborativos – máquinas que “convivem” na linha de montagem juntamente com os funcionários – além de sistemas de captação de imagens automatizadas, que, segundo a Hyundai, são capazes de detectar falhas nas principais etapas da produção.

Impressão 3D na produção do Hyundai HB20

A montadora também investiu em monitoramento em tempo real dos componentes de cada linha de abastecimento e em impressoras 3D. A manufatura aditiva é usada para moldes específicos usados na linha de produção. Por exemplo, o maquinário que serve para aplicação da logomarca da empresa na tampa do porta-malas.

“Estamos trabalhando para trazer ferramentas ainda pouco exploradas no mercado para nossa fábrica em Piracicaba”, conta Marcos Oliveira, vice-presidente de produção da Hyundai Motor Brasil e Américas Central e do Sul. “Nossa operação é planejada e executada com foco na flexibilidade para atender as demandas de mercado, o que tem se convertido em números, como a liderança geral do HB20 em vendas entre carros de passeio em 2021”, completa.

Área de pintura passou a ter menos etapas e tintas a base de água (divulgação Hyundai)

Soluções em busca de mais sustentabilidade

O investimento contemplou também soluções mais sustentáveis na unidade paulista. Foram adotadas tintas à base de água no setor de pintura. O produto possibilita a aplicação do primer (a camada primária do veículo) antes da secagem completa. 

Desta forma, a fabricante diz que  pôde descontinuar um dos tanques de lavagem da linha e também a etapa de estufa, o que “resulta em importante redução do consumo de energia elétrica”. Segundo a Hyundai, em 2021 foi economizado o equivalente a R$ 500 mil em consumo de água na fábrica de Piracicaba.

Fabricação de 210 mil carros por ano

Com as vendas em alta e a chegada do novo HB20 em agosto (o sedã será lançado só entre setembro e outubro) às lojas, além do bom desempenho comercial do Creta, a Hyundai vislumbra fechar o ano com quase 210 mil unidades produzidas. Ou seja, quase a capacidade total da fábrica de Piracicaba, que hoje opera em três turnos e tem 2.800 funcionários.

Além do novo HB20, do Creta e do novo HB20S – o sedã ainda está em fase de pré-séries -, a fábrica brasileira da Hyundai também iniciou recentemente a sua unidade de motores. Os primeiros 1.0 três-cilindros aspirados começaram a ser produzidos em Piracicaba, como adiantou Automotive Business, e devem passar a equipar a renovada linha HB até o fim do ano. Por enquanto, os modelos já produzidos para estoque antes de chegarem às revendas ainda usam os conjuntos importados e montados aqui.

Problemas da vez, além dos chips: painéis e chaves

A tendência é que a fábrica passe a fazer, a médio prazo, a variante tubo do motor 1.0 – que também equipa as versões mais caras do HB20, além do SUV Creta. Porém, tudo depende ainda da demanda do mercado brasileiro, já que boa parte da produção do hatch e do sedã ainda são das versões aspiradas.

Outro fator que pesa é o drama da falta de componentes que aflige toda a cadeia automotiva. Além da carência de semicondutores, agora a montadora também se depara com problemas no fornecimento de componentes para o quadro de instrumentos e até das chaves presenciais e com funções remotas.

Mesmo assim, como dito, a unidade opera em sua capacidade máxima. Com a meta clara de manter a liderança do HB20.

Fonte: Automotive Business

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO