Sebrae e OEA assinam acordo para crescimento econômico de pequenas empresas brasileiras


A parceria entre Brasil e Estados Unidos busca a recuperação econômica do Brasil na pós-pandemia
Sebrae e OEA assinam acordo para crescimento econômico de pequenas empresas brasileiras

O governo dos Estados Unidos celebrou a assinatura de um Memorando de Entendimento (MOU) entre a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Sebrae que implementa a metodologia de Small Business Development Center (SBDC) no Brasil. A parceria busca a recuperação econômica pós-pandêmica do país, intensificando sua relevância na expansão da prosperidade para mais membros da sociedade e o fortalecimento do comércio e investimento, a criação de empregos e inovação.

O MOU concluiu dez anos de negociação, durante os quais recebeu o apoio do secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, e do secretário adjunto para Desenvolvimento Econômico, José Fernandez. O programa é financiado pela Missão dos EUA junto à OEA e implementado pela Universidade do Texas San Antonio (UTSA). A expectativa é que, neste primeiro semestre, a metodologia entre em operação nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte.

Presidente do Sebrae, Carlos Melles

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, afirmou que a celebração do acordo representa um avanço para as micro e pequenas brasileiras, que poderão usufruir da metodologia Small Business Development Center, que impulsiona os resultados dos empreendedores, com grande possibilidade de mensuração de dados. “Os EUA sempre foram um modelo de desenvolvimento para o Brasil e um parceiro comercial, um exemplo de economia pulsante. O Sebrae dará as melhores condições possíveis para a execução desse projeto”, frisou.

Melles destacou ainda o papel preponderante dos micro e pequenos negócios para a economia nacional. “O espírito empreendedor vem crescendo muito no Brasil. As MPE respondem por 99% das empresas do país, quase 30% do PIB e mais de 44% da massa salarial”, afirmou. Além da formalização dos empreendedores, Melles ressaltou que o Sebrae está firmando parcerias para aumentar a competitividade, promover a capacitação e geração de empregos e o acesso das empresas ao crédito.

Cooperação para recuperar a economia

Embaixador representante do Brasil na OEA, Otávio Brandelli

O embaixador representante do Brasil na OEA, Otávio Brandelli, enfatizou a atuação do Sebrae no Brasil, “que tem esse perfil de incentivar a competitividade e a produtividade, unindo esforços para cooperação. Isso pode ir ainda mais longe”.

“Temos grandes expectativas que o modelo SBDC trará sucesso aos empreendedores brasileiros, fazendo-os avançar na recuperação pós-pandêmica do país e, assim, incluir uma faixa mais ampla da sociedade nesse crescimento econômico. Esperamos que as micro, pequenas e médias empresas, ao se conectarem à rede global do SBDC, possam encontrar novas oportunidades comerciais para aumentar sua competitividade e ajudar a aumentar suas vendas nas Américas e no exterior”, afirmou o encarregado de Negócios da Embaixada dos EUA, Douglas Koneff.

Diretor-técnico do Sebrae, Bruno Quick

Para o diretor-técnico do Sebrae, Bruno Quick, o acordo irá possibilitar o aumento da capacidade do Sebrae de impulsionar o empreendedorismo no país, especialmente no período de pós-pandemia. “Podemos mudar o patamar de atuação do Sebrae. Buscaremos unir esforços para trabalhar de forma cada vez mais efetiva, o que é uma característica própria da cultura norte-americana”, comentou.

Fonte: Sebrae

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO