O papel da suspensão na segurança do veículo e do motorista


Balanço excessivo em arrancadas e freadas, veículo arreado ou desnivelado, aquaplanagem, desgaste irregular ou prematuro dos pneus e ruídos podem indicar problemas nos componentes da suspensão
O papel da suspensão na segurança do veículo e do motorista

O sistema de suspensão, composto por amortecedores, molas, bandeja de suspensão ou braço oscilante, pivô, buchas de borracha, coxim e barra estabilizadora, entre outros, é fundamental para garantir a dirigibilidade, a estabilidade e o bom desempenho do veículo, bem como auxiliar em questões de segurança no trânsito. Por isso, a Nakata, fabricante de autopeças para o mercado de reposição, destaca os sinais que indicam desgaste das peças que formam o sistema de suspensão. “É muito importante ficar atento aos indícios de comprometimento dos componentes da suspensão, pois todas as peças são essenciais para o bom funcionamento do veículo. Uma bandeja, que tem como função ligar a roda ao chassi, quando danificada pode até provocar a perda da dirigibilidade”, alerta Jeferson Credídio, Gerente de Engenharia e Qualidade da Nakata, explicando também que, buchas da bandeja danificadas além de ruido pode desgastar o pneu prematuramente. Então, quando se trata de bandeja, é importante ter atenção com ruídos ao trafegar por vias esburacadas, lombadas ou depressões, pois pode ser indicativo de desgaste ou danos na peça.

Direção puxando para um dos lados na aceleração também pode indicar problemas nas buchas.

Já balanço excessivo em arrancadas e freadas, redução do contato do pneus com o solo, aquaplanagem, perda da estabilidade em curvas, desgaste prematuro dos pneus e vazamento de óleo indicam problemas nos amortecedores, itens fundamentais já que são responsáveis por frear os movimentos indesejados da mola, atenuar os impactos da carroceria e manter o contato dos pneus com o solo.

Os amortecedores atuam em conjunto com as molas, outro componente importante do sistema, elas absorvem os impactos sofridos pelas rodas e suportam o peso do automóvel. Os sinais mais comuns de que a mola está fadigada são: trincas, ferrugem, carroceria desnivelada ou arreada.

Já a barra estabilizadora costumeiramente indica que algo não vai bem através de ruídos, as bieletas e buchas precisam ser inspecionadas periodicamente a fim de detectar se há folgas ou rupturas.

A recomendação é fazer inspeção, a cada 10.000 km, após 40.000 km rodados ou quando o veículo apresentar algum dos sintomas comentados acima.

Sobre a Nakata Automotiva – Há 70 anos, a Nakata Automotiva, fabricante de autopeças para o mercado de reposição para veículos leves, pesados e motocicletas, recentemente adquirida pela Fras-le, líder global em materiais de fricção e componentes para sistemas de freios, pertencente às Empresas Randon, vem construindo sua história de sucesso no Brasil, com liderança em componentes de suspensão e amplo portfólio em direção, transmissão, freios e motopeças. Com pioneirismo, qualidade e compromisso com o mercado, a Nakata Automotiva se tornou reconhecida no aftermarket pela alta performance de seus produtos e elevado padrão de serviços.

A empresa atende o mercado nacional e exportação. Fazendo parte da Fras-le que fornece materiais de fricção originais para 95% das montadoras de veículos pesados e semipesados, além de ser líder no mercado de reposição e comercializar seus produtos em 120 países, a Nakata fortalece ainda mais a sua presença no mercado.

Mais informações
Verso Comunicação e Assessoria de Imprensa
Jornalista responsável – Majô Gonçalves – MTB 24.475
versocomunicacao@uol.com.br
Solange Suzigan
(11) 4102-2000/ 99905-7008
versocomunicacao@uol.com.br
www.versoassessoriadeimprensa.com.br
https://www.facebook.com/verso.assessoria

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO