Categories • Automotivas

Nada de preto ou prata: vermelho é a cor que mais valorizou em 2021

Parece que o reinado do preto e prata está chegando ao fim no mercado brasileiro de carros usados. Um levantamento exclusivo feito pela startup do segmento automotivo Mobiauto aponta quais são as cores que mais valorizam o veículo no momento da revenda.

O vermelho foi a cor campeã nos seminovos tanto na linha 2019 quanto na 2020, que foram as únicas avaliadas na pesquisa realizada pela empresa, que analisou 565 modelos e versões das 16 marcas de maior volume de vendas no Brasil. 

Para cada uma delas, os pesquisadores selecionaram a variação de preços das cinco cores mais comuns: branco, prata, cinza, preto e vermelho. Tonalidades mais raras, como amarelo, verde, azul ou marrom, ficaram de fora por terem uma amostragem restrita e muitas vezes nem serem oferecidas pelas montadoras na sua linha de modelos zero km.

O estudo comparou a variação dos preços do carro em janeiro de 2021 e comparou com os valores dos mesmos modelos que eram praticados em dezembro. O resultado final está na tabela a seguir:

COR               ANO       VALORIZ.
Vermelho201924,09%
Preto201922,12%
Prata201921,91%
Branco201921,77%
Cinza201921,32%
Vermelho202019,79%
Preto202018,50%
Cinza202018,49%
Branco202018,48%
Prata202018,02%

“Ficamos surpresos com o resultado. Esperávamos que o branco fosse liderar a pesquisa, mas o resultado mostrou equilíbrio, sinal de que o consumidor de carros seminovos está cada vez mais seletivo com outros quesitos na compra, como estado de conservação, documentação, origem do veículo… e muito menos preocupado com a cor do veículo que está sendo adquirido”, afirma Sant Clair Castro Jr., CEO da Mobiauto.

Outra surpresa foi constatar que houve uma valorização dos usados, em vez de uma depreciação, o que seria a condição normal do mercado. Porém, com a falta de veículos novos causadas pela escassez dos semicondutores na indústria, o ano de 2021 acabou registrado um aumento de preço dos seminovos.

O executivo explica que duas razões podem ter feito a balança pender ligeiramente a favor do vermelho. A primeira é que se trata de uma tonalidade que é mais comum em alguns nichos de mercado, o que ajudaria a valorizá-la. “Você não vê muitos sedãs ou SUVs vermelhos. É uma cor mais comum em modelos de entrada (hatches e picapes compactas, por exemplo). E esses carros são naturalmente muito procurados, o que pode ter ajudado no aumento de preços do vermelho”, argumenta Sant Clair.

Em segundo lugar estaria o fato de que vermelho é uma das pinturas mais requisitadas nas poucas opções de carros esportivos, o que levaria o comprador a pagar um pouco mais caro para ter seu seminovo na cor mais representativa. 

Na média do mercado, de acordo com a amostra analisada, a valorização geral foi de 20,45%. Não por coincidência, todas as cores de modelos 2019 ficaram acima desse percentual, enquanto todas as tonalidades dos veículos 2020 estão abaixo da média.

“Quando uma pesquisa mostra variação tão estreita nos resultados é sinal de que aquele ingrediente que está sendo pesquisado não interfere, definitivamente, na opção do comprador. E esta é uma ótima notícia. Se você era daqueles consumidores que escolhia a cor do seu carro zero km já pensando na hora da revenda, esqueça! O comprador de seminovos não está nem aí pra isso”, finaliza o CEO da Mobiauto.

Fonte: Automotive Business

You May Also Like