Categories • Automotivas

Mercado de ônibus ainda patina em 2022, com vendas abaixo de 20 mil unidades

O mercado de ônibus deve continuar patinando em 2022. A projeção para o setor é de 19,2 mil unidades emplacadas e alta de apenas 8% sobre ano passado. A estimativa foi divulgada na quinta-feira, 6, pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.

“Parte desse crescimento ocorrerá por causa do programa governamental Caminho da Escola, com uma demanda de ao menos 7 mil unidades”, afirma o novo presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Júnior. 

Em 2021 as vendas de ônibus somaram apenas 17,8 mil unidades, 2,5% a menos na comparação com 2020. Foi o segundo pior desempenho do setor automotivo no ano passado, atrás apenas dos automóveis, cuja queda de 3,6% nas vendas foi provocada pela falta de componentes eletrônicos nas linhas de montagem.


– LEIA TAMBÉM
Strada lidera vendas em 2021; Fiat leva entre as marcas. Veja os rankings
Vendas sobem 10,5% em 2021 e Fenabrave projeta alta superior a 5% em 2022
Agronegócio e e-commerce continuarão a puxar caminhões este ano
Inadimplência começa a comprometer a venda de motos


Os licenciamentos de ônibus em dezembro somaram 1,5 mil unidades, registrando alta de 12,2% sobre novembro, que teve menos dias úteis. Segundo a Fenabrave, a retomada em 2022 deve ter a ajuda não só do Caminho da Escola, mas também de empresas de turismo, como conta Tereza Fernandez, da MB Associados. “Começa a haver uma mudança no modelo de transporte rodoviário com a entrada da Buser e outras duas grandes empresas concorrentes”, afirma a executiva.

“Somente a Buser já estabeleceu relação com 100 empresas de turismo e pretende encerrar 2022 com 3 mil parcerias. Isso pode gerar mais investimentos no segmento de ônibus e um crescimento maior que estes 8% estimados”, estima Tereza.

Dessa forma, a Buser começa a gerar no mercado um estímulo semelhante ao do Uber. Mas em vez de locadoras fornecendo carros para motoristas de aplicativo teremos empresas de turismo provendo ônibus para a Buser e suas concorrentes.

Fonte: Automotive Business

You May Also Like