Quanto custam os carros elétricos e híbridos com o novo imposto de importação


Novas alíquotas variam de 10% a 15% e já estão em vigor
Quanto custam os carros elétricos e híbridos com o novo imposto de importação
Kwid E-Tech pode passar de R$ 135 mil com novo imposto de 10%

Por Vitor Matsubara

Os novos impostos de importação sobre carros elétricos e híbridos estão em vigor desde o primeiro dia de 2024.

A medida, que havia sido anunciada no fim do ano passado, provocou um aumento nas vendas de veículos eletrificados nos últimos dias de imposto zerado em dezembro de 2023. 

As alíquotas vão de 10% para carros elétricos, 12% para veículos híbridos plug-in e 15% no caso dos modelos híbridos.


VEJA MAIS

– Por que o custo de produção virou a pedra no sapato das montadoras na era do carro elétrico?
– Opinião: imposto de importação gradual para elétricos é caminho certo


No entanto, esses números serão válidos apenas até o fim de junho deste ano. A partir de julho, o imposto aumenta, sendo que novos reajustes serão realizados anualmente até 2026, quando todas as categorias de veículos eletrificados terão imposto de importação de 35%.

Veja o cronograma de reajustes nos preços com o imposto de importação

Como ficariam os preços dos carros eletrificados?

Com o repasse do novo imposto na íntegra, os carros eletrificados devem ficar substancialmente mais caros. Automotive Business fez uma projeção dos possíveis novos valores de alguns dos modelos mais vendidos no país.

Volvo vai repassar menos da metade do imposto

EX30 deve alavancar as vendas da Volvo em 2024

Até o momento, apenas a Volvo afirmou que absorverá parte do reajuste aplicado em seus modelos. A fabricante sueca realizará um aumento médio de 7,7% em sua gama de veículos. O menor repasse será de 5% para o EX30, que está em pré-venda desde o ano passado e promete ser uma das sensações de 2024. Os demais modelos (XC40, C40, XC60 e XC90) terão aumento de 10% nos preços sugeridos.

A medida agressiva faz parte da ousada meta de chegar a 17 mil emplacamentos em 2024. Caso esse volume seja atingido, a fabricante fechará o ano com mais do que o dobro de unidades vendidas em 2023 – quando a estimativa é de que a Volvo tenha comercializado aproximadamente 8 mil carros.

Fonte: Automotive Business

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO