Categories • Gerenciais

Confiança do empresário do comércio em São Paulo registra sétima alta consecutiva

Em dezembro, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) em São Paulo registrou a sétima alta consecutiva, de acordo com levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O indicador cresceu 2,4%, ao passar de 114,3 pontos, em novembro, para 117,1, no último mês de 2021. Já o Índice de Expansão do Comércio (IEC) avançou 3%: de 113,4 para 116,8 pontos, em dezembro – aumento de 15,6% em relação ao mesmo período de 2020. O Índice de Estoque (IE) também cresceu. A alta foi de 1,1%, passando de 112 para 113,2 pontos.

O Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) – um dos subíndices que compõe o ICEC – avançou 5,4%, passando para 95,4 pontos no décimo segundo mês do ano. Já o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) subiu 0,8%, registrando 149,8 pontos. O Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) apontou alta de 2,1%, chegando aos 106 pontos. Na base de comparação anual, os três quesitos registraram crescimento: o primeiro avançou 39,2%; o segundo, 4,1%; e o terceiro, 14,5%.

Dentre os indicadores que integram o IEC, o índice que mede as Expectativas para Contratação de Funcionários obteve crescimento de 0,6%, registrando 135,3 pontos em dezembro. Já o Nível de Investimento das Empresas cresceu 6,4% (98,2 pontos). Na comparação interanual, os dois quesitos registraram crescimentos de 3,7% e 37,4%, respectivamente.

A proporção dos empresários que consideram a situação dos estoques adequada aumentou 0,6%, passando para 56,2%, em dezembro. Aqueles que relatam situação inadequada apontou queda de 0,2%, consolidando 29,3%. Por fim, a porcentagem dos empresários que consideram os estoques abaixo do desejado caiu 0,4%, chegando a 13,8%. Os que relatam adequação são maioria: 56,2%, contra 43,1% dos que consideram os estoques inadequados.

Organização e prudência em 2022
Na avaliação da FecomercioSP, cautela e planejamento serão as palavras-chave para a classe empresarial no ano que se inicia. Ainda que os impactos da pandemia pareçam cada vez mais controlados, as incertezas ainda presentes e a fragilidade da economia, principalmente pela aceleração do quadro inflacionário, incomodam empresas e consumidores. Desta forma, a Federação segue orientando o controle do estoque em dia para apuração das movimentações de entrada e saída de mercadorias. É importante evitar altos endividamentos e observar as operações atualizadas da empresa, procurando manter os vencimentos das despesas próximos às datas dos recebimentos das receitas – e ajustando investimentos de forma adaptada ao fluxo de caixa.

Notas metodológicas
ICEC
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla a percepção do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que, por sua vez, pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, contudo sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.

IEC
O Índice de Expansão do Comércio (IEC) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas. Apesar desta pesquisa também se referir ao município de São Paulo, sua base amostral abarca a região metropolitana.

IE
O Índice de Estoque (IE) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011 com dados de cerca de 600 empresários do comércio no município de São Paulo. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques: acima (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e abaixo (em casos de os empresários avaliarem falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo). Como nos dois índices anteriores, a pesquisa se concentra no município de São Paulo, entretanto sendo a sua base amostral considera a região metropolitana.

Sobre a FecomercioSP
Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.

Mais informações
Assessoria de imprensa FecomercioSP
imprensa@fecomercio.net.br
Adriana Gemignani – (11) 96864-3431
Vinícius Mendes – (11) 96860-1503
Arlete Moraes – (11) 94291-8055


Siga a FecomercioSP:
Facebook – www.facebook.com/fecomercio
Instagram – www.instagram.com/fecomerciosp/   
LinkedIn – www.linkedin.com/company/fecomercio
Twitter – www.twitter.com/fecomercio

You May Also Like