2024 será o ano da inteligência artificial generativa no setor automotivo


Análises do BCG apontam que tecnologia vai ganhar força no Brasil este ano
2024 será o ano da inteligência artificial generativa no setor automotivo

Por Ana Paula Machado

Se em 2023 a indústria automotiva no Brasil acelerou a eletrificação, 2024 pode ser o ano em que as ferramentas de inteligência artificial generativa (IAG) começam a ser mais presentes no dia a dia das empresas. Masao Ukon, diretor executivo e sócio sênior do Boston Consulting Group (BCG), acredita que programas de IAG que não demandam grandes investimentos e infraestrutura consolidada e, portanto, podem ganhar força rapidamente em áreas de atendimento ao cliente e no marketing. 

“Lá fora, esse tema já está inserido nas empresas. E muitas companhias se perguntam em como usar ferramentas de IAG para melhorar a experiência do cliente. Isso deve acontecer no mercado brasileiro neste ano”, disse Ukon.

A inteligência artificial generativa é a IA caaz de gerar novos conteúdos e respostas, como texto e iimagem. A solução ganhou força no Brasil a partiir de 2023 com o Chat GPT.


VEJA MAIS:
– As razões que fizeram de 2023 o ano do carro eletrificado no Brasil
– Vendas de eletrificados superam expectativas e crescem mais de 90% em 2023


Ukon dia que a IAG pode ser usada em processos internos, em gerenciamento de dados, mas também no apoio em a clientes, pesquisa e desenvolvimento, avaliação de performance de componentes, geração de campanha de marketing, por exemplo. 

“Na CES deste ano, por exemplo, esse foi o tema da feira”, afirmou Ukon. “No Brasil é muito difícil fazer qualquer estimativa no curto prazo, mas a mensagem que permanece é a de que vamos ter a convivência com mais tecnologias. Vai ser um ano de mais um passo para a eletrificação.” 

2023, o ano do carro elétrico

A eletrificação, aliás, segundo Ukon, foi o que dominou a indústria automotiva no Brasil em 2023 na avaliiação de Ukon. Prova disso, é que as vendas de carros eletrificados superaram as expectativas e quase dobraram no ano passado.

Segundo dados da Associação Brasileira de Veículos Eletrificados (ABVE), no ano passado, foram licenciadas 93.927 unidades, uma alta de 91% no comparativo com 2022. 

“Depois de alguns anos desafiadores do ponto de vista da oferta, com os desafios da cadeia de suprimentos, com a Covid, 2023 foi um ano, lá fora, de aceleração da eletrificação e depois redução da demanda, e, no Brasil, esse processo começou a ganhar força”, disse Ukon. 

Consolidação da eletrificação no Brasil

Segundo ele, esse avanço no mercado brasileiro é mais gradual, mas ganhou tração com a chegada de novas empresas, novos produtos e o aumento dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento de toda a cadeia automotiva. 

Na pesquisa realizada pela BCG com a Anfavea e Sindipeças, realizada em 2020, segundo ele, mostrou que 20% dos entrevistados, naquela época, já investiam em eletrificação e 80% já pensavam em aportar recursos nesses projetos. 

“Em 2020, se falava que esse processo seria mais gradual no Brasil em convergência com outras tecnologias. Agora, a cadeia já começa a dar os primeiros passos nessa direção, com novos produtos, novas empresas e a questão regulatória com o Mover (Mobilidade Verde e Inovação). O momento é agora, e o setor começa a se preparar”, ressaltou Ukon.

Fonte: Automotive Business

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO