Salão de Munique escancara expansão chinesa


Mostra começa no dia 5 de setembro com presença maciça de marcas asiáticas
Salão de Munique escancara expansão chinesa

Na próxima terça-feira, 5  serão abertas para o público as portas do IAA Mobility 2023, em Munique, Alemanha. Considerado uma das mais importantes mostras mundiais de automóveis e que por décadas foi realizada em Frankfurt, já é consenso que a edição deste ano demarcará a forte expansão da indústria automobilística chinesa rumo ao ocidente.

Naturalmente, as tradicionais marcas europeias — francesas, italianas, inglesas e, sobretudo, as locais alemãs — prometem chamar a atenção com uma série de lançamentos e conceitos voltadosespecialmente à descarbonização, leia-se eletrificação.

Mas a maciça presença de marcas estrangeiras já está assegurada e representará metade dos expositores, contra um terço da última edição. Considerando montadoras e fornecedores de tecnologias, mais de 40% das empresas presentes são asiáticas.

O número de empresas chinesas mais que dobrou e até o Congresso Mundial de Veículos de Nova Energia (WNEVC)  será realizado em 6 de setembro durante o IAA, deixando a China pela primeira vez.

Não por coincidência, dentre as montadoras, a delegação da China será a maior. Pelo menos sete têm presença assegurada, como as mais afamadas BYD, Dongfeng e Geely e as ainda pouco conhecidas dos ocidentais HiPhi, Leapmotor, Seres e Xpeng.

LEIA MAIS

→ China já é maior exportador de veículos do mundo

Num claro esforço para se destacarem entre as dezenas de outras marcas que atuam ainda somente no mercado interno da China, as participantes do IAA 2023 querem consolidar a imagem de que podem — e vão, sim — dispor de produtos de qualidade e tecnologicamente avançados para conquistar clientes de todos os continentes.

Particularmente os da Europa, para onde já encaminham veículos e confirmaram outros vários lançamentos nos próximos meses. É o caso da BYD, já uma das maiores fabricantes globais de veículos elétricos e que há cerca de um ano chegou por lá.

A marca apresentará no salão alemão um portfólio completo de modelos que serão oferecidos na região. Destaque para o sedã esportivo Seal, lançado esta semana aqui no Brasil, e que chegará às revendas europeias ainda este ano junto com o Seal U, sua configuração SUV.

Outro modelo já conhecido do consumidor brasileiro e que será apresentado em Munique é o hatch Dolphin, carro de entrada da marca aqui. Ele compartilhará o estande ainda com o SUV Tan, o sedã grande Han e o SUV compacto Atto 3. No evento a BYD também lançará sua submarca de luxo Denza.

Mais conhecida no ocidente por suas parcerias com montadoras tradicionais como, dentre outras, Honda, Renault, Peugeot e Citroën, a Dongfeng começará a vender produtos de sua própria marca na Europa. No IAA apresentará, por exemplo, a van de passageiros M6.

O nome HiPhi promete se destacar. A novata marca de elétricos chinesa atua no segmento de luxo e já começou a vender na Europa os modelos X, um SUV grande, e o sedã Z GT. Na Alemanha serão exibidos pela primeira vez os modelos Z,  X e o sedã médio Y, que tem portas traseiras tipo asa de gaivota.

Outra startup chinesa que vem alinhavando sua presença além-fronteiras, inclusive com parcerias com potenciais parcerias com Volkswagen ou Stellantis, é a Leapmotor. Neste ano, iniciou as vendas na Europa do minicarro T03 e apresentará no IAA o SUV C11, vendido na China em versões elétricas e híbridas..

Vale chamar a atenção ainda para a presença da Seres. Dois de seus carros, o Seres 5, SUV de porte médio, e o crossover Sres 3, já estão nas revendas europeias. Neste caso, porém, é importante observar os próximos passos da marca, pertencente a ninguém menos do que a Huawei, a gigante global de celulares, que apenas engatinha nos automóveis.

Fonte: AutoIndústria

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO