Movimento do comércio volta a cair em março, diz Boa Vista


Na comparação mensal, a retração foi de 1% e na comparação interanual o recuo foi mais tímido, de 0,5%, de acordo com a Boa Vista (Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio)
Movimento do comércio volta a cair em março, diz Boa Vista

O indicador antecedente da Boa Vista de Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo território nacional, caiu 1,0% entre os meses de fevereiro e março e acumula queda de 1,7% quando comparados o 1º trimestre de 2022 com o 4º trimestre de 2021 na série de dados dessazonalizados.

Já na série de dados originais o indicador recuou 0,5% na comparação interanual e 0,8% no 1º trimestre de 2022 contra o mesmo período do ano anterior.

Na análise de longo prazo, medida pela variação acumulada em 12 meses, o crescimento passou de 0,1% para 1,5%, mas isso não sugere qualquer melhora do cenário econômico e se deveu, basicamente, a uma grande mudança no denominador dessa relação, lembrando que em março de 2021 o indicador havia registrado forte queda na comparação com março de 2020 (último mês antes da pandemia), de 14,6%, devido às restrições impostas naquele mês pela Fase Emergencial de combate ao coronavírus.

No mês, a elevação no nível médio de preços ajuda a explicar essa retração nas vendas. O IPCA de março foi de 1,62%, bem acima da mediana das expectativas do mercado que era de 1,32%.

Além dessa surpresa, a inflação, apesar de estar disseminada, foi mais forte nos segmentos relativos a alimentos e combustíveis, muito relevantes ao varejo.Já a queda na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o último do ano passado reflete não apenas a inflação em si, como também seu efeito sobre a renda do trabalho, que está em queda.

O mercado de trabalho parece ter estacionado e a taxa de desemprego parou de cair. Após encerrar o ano na marca de 11,1%, a taxa subiu um pouco, para 11,2%, e se manteve nesse patamar nos dois primeiros meses do ano de acordo com a PNAD feita pelo IBGE.

Por fim, a projeção de inflação para o final do ano não para de subir e chegou a 7,65% com base no Relatório Focus de 22/04, que também mostrou um aumento na projeção de juros básicos, para 13,25%. A combinação de inflação, juros e desemprego altos tende a colocar o crescimento do varejo em xeque, mesmo com todos os esforços, como a liberação do saque do FGTS, para aquecer a demanda.

METODOLOGIA

O indicador Movimento do Comércio é elaborado a partir da quantidade de consultas à base de dados da Boa Vista por empresas do setor varejista. As séries têm como base a média de 2011 = 100, e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

Fonte: Diário do Comércio

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO