Mercado de implementos rodoviários fecha 2023 em baixa de 2,4%


Apesar das vendas menores, Anfir avalia como um período rentável, em especial para reboques e semirreboques, com crescimento acima de 8%
Mercado de implementos rodoviários fecha 2023 em baixa de 2,4%

As entregas de implementos rodoviários no ano passado somaram pouco mais de 151 mil unidades, volume 2,39% inferior ao mesmo período de 2022, quando as vendas alcançaram 154,7 mil produtos. Os dados são da Anfir, apresentados na segunda-feira, 8.

Apesar da variação negativa, a associação que representa os fabricantes do segmento avalia que o desempenho não decepcionou. As vendas de pesados, representados por reboques e semirreboques, cresceram 8,63%, para 90,3 mil emplacamentos ante 83,1 mil anotados no anterior.

LEIA MAIS

→Implementos rodoviários pesados tem melhor mês da história

A Anfir coloca na conta da expansão a demanda por carretas com o quarto eixo, recente configuração do mercado capaz de substituir composições do tipo bitrem em algumas aplicações. “Tivemos um ano rentável, onde mesmo comercializando menos produtos isso não afetou a capacidade do setor logístico de transportar carga”, avalia José Carlos Spricigo, presidente da associação.

Diferentemente do registrado pelos pesados, as vendas de carrocerias sobre chassi anotaram no ano passado queda de 15,2%, com 60,7 mil produtos entregues contra os 71,6 mil vendidos em 2022.

Para 2024, Spricigo tem perspectivas animadoras para o mercado de implementos rodoviários. Embora ainda não projete um número, o dirigente lembra será ano de Fenatran. “Tradicionalmente é um evento impulsionador de vendas para o nosso setor e com isso podemos dizer que nossa expectativa para o ano de 2024 é boa.”

Além da feira, o presidente da Anfir também aponta os investimentos em obras do PAC e o processo de redução das taxas de juros, que favorece maior acesso ao crédito.

Fonte: AutoIndústria – Foto: Librelato/Divulgação

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO