Mégane E-TECH Electric assume protagonismo na proteção ambiental


Novo Mégane E-TECH Electric tem um índice de reciclabilidade superior a 90%
Mégane E-TECH Electric assume protagonismo na proteção ambiental

O Novo Mégane E-TECH Electric está assumindo o protagonismo da mobilidade descarbonizada, com zero emissão durante o uso, projeto que inclui materiais reciclados, destinação das baterias para um uso em segunda vida e alta reciclabilidade no fim do ciclo de vida. Os desafios da nova era já são assumidos por este modelo da “nouvelle vague” da Renault. Ao aliar inovação e respeito ao meio ambiente, o Novo Mégane E-TECH Electric demonstra a vontade da marca de se inserir na transição ecológica, representando a ambição do Renault Group de atingir a neutralidade de carbono até 2040, na Europa. A história deste carro “verde” é contada por Quentin, responsável por temas ambientais na engenharia de materiais, que contribuiu para sua criação.

Sua tarefa é desenvolver veículos que respeitam o meio ambiente. Mas ele tem uma missão ainda maior: atuar como especialista de materiais enfrentando os desafios societais e ambientais que estão presentes no nosso dia a dia e delineiam nosso futuro. Como responsável pelos temas ambientais na engenharia de materiais da Renault, Quentin se sentiu à vontade durante o desenvolvimento do Novo Mégane E-TECH Electric, um modelo que comprova que os desafios ambientais estão mais do que nunca no coração da estratégia da empresa. Há trinta anos, a estratégia foi lançada com o uso de plásticos reciclados nos veículos, tendo se acelerado até assumir uma nova dimensão nos dias atuais. Os ecossistemas de abastecimento e produção são agora pensados e repensados para serem inseridos na dinâmica da economia circular, para reduzir a pegada de carbono do veículo muito antes de ele entrar em circulação. “Comprar local”, envolver os fornecedores e utilizar materiais reciclados são as estratégias que abrem caminho para novos pontos de vista em termos de mobilidade sustentável.

“Desde que foi desenvolvido, o Novo Mégane E-TECH Electric se insere em uma estratégia de economia circular. Este modelo elétrico produzido na fábrica de Douai (França) representa o compromisso do grupo de preservar os recursos naturais, graças à produção local e o trabalho feito em todas as fases do projeto, com fornecedores e a indústria de reciclagem”, explica Quentin, responsável por temas ambientais na engenharia de materiais. 

PRODUÇÃO RESPONSÁVEL 

O Novo Mégane E-TECH Electric é produzido no norte da França, na fábrica de Douai. É neste lugar que se encontra o polo ElectriCity, onde centenas de veículos atravessam as linhas de produção todos os dias. O modelo representa os valores de uma produção responsável, cujos componentes são abastecidos por meio de fornecedores mais próximos do local de montagem e incluem uma série de materiais reciclados. Setenta por cento de sua massa total tem como origem fornecedores localizados na Europa.

Tanto o design externo como interno foi pensado para otimizar os recursos. Vários itens da carroceria são fabricados a partir do alumínio, um material que permite diminuir o peso da carroceria e melhorar a autonomia da bateria, além de ser pensado também do ponto de vista da economia circular. Na estamparia, quando o alumínio é cortado para receber a forma desejada das peças, os refugos de material resultantes do processo são selecionados, compactados e devolvidos ao fornecedor inicial, que os reintegra em seu ciclo de produção. Depois, eles retornam à fábrica de Douai para serem utilizados na produção de novas peças. Este ciclo curto de reciclagem contribui para reduzir a pegada de carbono da produção do veículo e garantir o estoque de componentes.

“O refugo de alumínio representa aproximadamente 40% do volume utilizado no processo de estamparia das peças. Como este material é 100% reciclável, podemos fazer uso da economia circular, mantendo a qualidade. Este ciclo é ainda mais virtuoso em termos ambientais e econômico!”, conta Fabrice, Especialista em reciclagem no Renault Group.

PLÁSTICOS RECICLADOS TÊM DESTAQUE

Dentro do veículo, várias peças como o painel, console central, revestimento dos bancos e tapetes utilizam materiais reciclados. O carro contém em média 28 kg de plásticos reciclados, ajudando a empresa a atingir sua meta de redução da pegada de carbono. Até 2030, o Renault Group tem um objetivo global de usar 33% de materiais reciclados em seus veículos.

“Tenho a missão de prescrever os materiais com menor pegada de carbono possível e ampliar o uso de materiais reciclados. No Novo Mégane E-TECH Electric, houve um aumento de 20% no uso de plásticos reciclados em comparação com o Renault ZOE”, explica Quentin, responsável por temas ambientais na engenharia de materiais.

TAXA DE RECICLABILIDADE SUPERIOR A 90% 

O Novo Mégane E-TECH Electric vai ainda mais longe em sua ambição ambiental, abrindo caminho para novos projetos promissores, principalmente de reciclagem de materiais e metais usados na produção de baterias. Estes componentes reciclados poderão ser um dia utilizados na produção de novas baterias, na Gigafactory que entrará em funcionamento na planta de Douai, em 2024.

No total, o Novo Mégane E-TECH Electric tem um índice de reciclabilidade superior a 90%*. Por isso, ele marca o início de uma nova era, mais engajada e responsável. Sorte do Quentin, que trabalha em uma área alinhada com seus ideais.

* Conforme a diretiva europeia 2005/64 de homologação e reciclagem

Renault do Brasil
Sala de Imprensa

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO