Dica BorgWarner para avaliar turbocompressor se entrar água no motor


Em caso de entrada de água pelo sistema de ar é indicado avaliação de todos os componentes periféricos do motor
Dica BorgWarner para avaliar turbocompressor se entrar água no motor

A BorgWarner, líder global no fornecimento de soluções de mobilidade inovadoras e sustentáveis, traz dica técnica e indica a avaliação do turbocompressor quando há suspeita de entrada de água pelo sistema de admissão de ar do motor, assim como é recomendado para todos os componentes periféricos do sistema.

“No sistema de admissão de ar do motor somente ar atmosférico deve ser admitido para câmara de combustão após a filtragem, seja pelo turbocompressor, seja pelo sistema de aspiração natural.” explica Guilherme Soares, Head de Aftermarket da BorgWarner Emissions, Thermal and Turbos Systems no Brasil. “Nos veículos turboalimentados, o turbocompressor faz parte desse sistema, e deve ser avaliado em caso de suspeita de entrada de água.”, complementa.

A estratégia de segurança dos veículos contra entrada de água pelo sistema de admissão de ar do motor é a mesma para motores aspirados quanto para motores turboalimentados. O motor tem um sistema de admissão de ar projetado para evitar entrada de água nos dutos de ar.

Em situações críticas, como por exemplo alagamentos das ruas e avenidas em dias de chuvas intensas, a estratégia de segurança contra entrada de água pelos dutos de ar pode não ser suficiente para impedir que o líquido entre na câmara de combustão, causando o travamento do motor, o que chamamos de calço hidráulico. Neste caso, se não houver trincas no bloco do motor, ele precisará passar por uma retifica trocando os componentes internos danificados. E os componentes periféricos também precisarão ser avaliados, e idealmente, passar por manutenção ou remanufatura.

“O melhor procedimento em caso de suspeita de admissão de água pelo sistema de ar do motor é submeter todos os componentes periféricos à uma avaliação, inclusive o turbocompressor”, afirma Soares.

O turbocompressor deve ser avaliado internamente também. A partir do momento em que houve admissão de água pelo sistema de ar, a água pode passar pelo sistema de vedação da carcaça central, contaminando o óleo e até causando a corrosão de componentes internos do conjunto rotativo o que pode levar a um desgaste prematuro e afetar o desempenho do turbocompressor. Se a água atingir componentes eletrônicos do sistema, como sensores de rotação, pode causar falhas elétricas e afetar o controle correto do sistema. Portanto, o sistema necessita ser completamente desmontado na fábrica por técnicos capacitados para avaliação dos componentes internos, para verificação de possíveis danos, como por exemplo, oxidação dos componentes. À partir desta análise teremos a conclusão da possibilidade da remanufatura do turbocompressor, substituindo os componentes danificados ou na pior situação a substituição do turbocompressor por completo.

Sobre a BorgWarner

Por mais de 130 anos, a BorgWarner tem sido uma líder transformadora de produtos globais trazendo inovações de mobilidade bem-sucedidas para o mercado. Hoje, estamos acelerando a transição mundial para a eMobilidade — para ajudar a construir um futuro mais limpo, saudável e seguro para todos.

Compartilhe

Programa EMPRESA AMIGA DO VAREJO