Notícias locais

15 de abril de 2021

Produção de motos em março é a melhor em 6 anos: 125,5 mil


Somente a Honda montou mais de 100 mil unidades no mês; vendas no atacado acompanham alta (MÁRIO CURCIO, PARA AB)


Fábrica da Yamaha (foto) montou em março 20,3 mil motos, seu melhor mês desde agosto de 2014

A produção de motos em Manaus (AM) atingiu em março 125,5 mil unidades, o maior volume para um único mês desde março de 2015, há exatos seis anos. As fabricantes, sobretudo a Honda, se esforçaram para compensar a redução no volume produzido nos primeiros meses por causa da segunda grande onda de Covid-19 que afetou a capital amazonense no início de 2021.

Os números foram divulgados pela Abraciclo, entidade que reúne fábricas de motos e bicicletas instaladas em Manaus. O total das motocicletas montadas em março foi 116,4% maior que o de fevereiro e ficou 22,1% acima do anotado em março do ano passado. Somente a Honda fabricou em março 100,7 mil motocicletas, sua maior produção mensal desde novembro de 2014. No acumulado do ano, no entanto, a produção total das fabricantes ficou 20,3% abaixo do primeiro trimestre de 2020 e teve apenas 237,2 mil motos montadas.

“Nossa expectativa é que o ritmo de produção siga estável a partir de agora para conseguirmos atender ao mercado e zerar a fila de espera por motocicletas”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

O executivo se refere à falta de motos com cilindrada até 160 cm³ na rede de concessionárias, o que resulta em espera de até 60 dias. Das dez associadas à Abraciclo, seis registraram em março o maior volume produzido em 2021. A Yamaha, vice-líder do segmento, fabricou no mês 20,3 mil motos, seu melhor resultado mensal desde agosto de 2014. E a Kawasaki alcançou em março 1.093 unidades, seu melhor mês desde junho de 2012.

Como consequência, as vendas no atacado também dispararam no terceiro mês. As montadoras entregaram às concessionárias 116,8 mil motocicletas. Esse volume foi 120,6% maior que o de fevereiro e 25,7% melhor que o de março do ano passado. Já o trimestre resultou em queda de 21,7%, com pouco mais de 217 mil motos entregues à rede.

EXPORTAÇÃO CRESCE 92,9% NO TRIMESTRE
A exportação de motos atingiu em março 6,3 mil unidades. Cresceu mais de 115% sobre fevereiro e 132,1% na comparação com março do ano passado. No acumulado do ano foram enviadas 13,2 mil motocicletas, um crescimento de 92,9% na comparação com iguais meses de 2020.

Os Estados Unidos foram o principal destino das motos brasileiras, com 3,8 mil unidades e 33,3% do total exportado no trimestre. O segundo lugar ficou com a Argentina (3,1 mil motos e 26,9% do volume) e o terceiro com a Colômbia (1.616 unidades e 14%).

A retração do mercado argentino afetou bastante os embarques totais a partir de 2018. Segundo a Abraciclo, as legislações mais rígidas em emissões e segurança elevam o preço das motos brasileiras e reduzem sua competitividade no exterior. A dificuldade logística para exportar a partir de Manaus é outro ponto destacado pela entidade.

MERCADO INTERNO RECUA 16,8%
Os emplacamentos no trimestre somaram 205,5 mil unidades, uma queda de 16,7% em relação ao mesmo período do ano passado (leia aqui).. A análise isolada de março mostra 62,3 mil emplacamentos. Com 23 dias úteis, anotou a pior média diária de licenciamentos (2,7 mil unidades) para o mês desde 2003. O presidente da Abraciclo acredita que a recuperação da produção alcançada em março irá se refletir positivamente nos emplacamentos de abril.

Fonte: Automotive Business

Voltar para Notícias

parceiros