Notícias locais

14 de setembro de 2021

Cinco áreas em que o analytics pode trazer mais resultados para o varejo


Os insights gerados pelos dados garantem menores custos, melhores resultados e satisfação dos clientes. O tema será abordado pelo SAS durante o Latam Retail Show

Em 2020, a crise causada pela pandemia da COVID-19 obrigou o setor varejista a se reinventar. A ruptura das cadeias de suprimentos somada às mudanças das necessidades momentâneas da população criou desafios para empresas que precisaram encontrar formas de atender à demanda dos clientes que buscavam por produtos que até então atraíam pouco interesse. Nesse contexto, o uso de dados para suportar a tomada de decisões foi de extrema importância para o setor varejista.

De acordo com Cristián Figueroa, Head of Retail & Consumer Goods do SAS para a América Latina, os setores varejista e de bens de consumo têm uma série de benefícios com o uso de analytics, como a identificação de rupturas da cadeia de suprimentos e a identificação de padrões de comportamento dos consumidores. Segundo ele, o uso de analytics combinado a uma cultura de gestão alinhada ao uso intensivo de dados permitem aperfeiçoar os processos de negócios que impactarão as linhas de receita.

“Muitas novas tecnologias, como análise preditiva, IoT, machine learning, entre outras, estão mudando a forma como o setor varejista encara os processos de negócios com vista a melhorar a experiência do consumidor”, ressalta o especialista do SAS. As aplicações de analytics e IA no varejo podem ser conferidas no estande do SAS no Latam Retail Show, que acontece de 14 a 16 de setembro, totalmente online, e também no painel ‘A evolução do canal direto ao consumidor’, com a participação de Figueroa.

Com o objetivo de destacar a importância do uso de ferramentas de análise de dados pelo setor, o executivo do SAS listou cinco áreas em que o analytics tem papel importante para otimizar os negócios do setor.

Planejamento de demanda hierárquico
Cada negócio possui particularidades em sua estrutura de processos. Por conta disso, muitas vezes é necessário reestruturar as hierarquias do planejamento de demanda. Essa reestruturação pode incluir a alteração dos nomes dos níveis ou hierarquias ou a definição de novas hierarquias. Com o uso de ferramentas de planejamento de demanda hierárquico, é possível combinar vários modelos para produzir uma previsão que melhor retrata o negócio em todos os níveis de organização, incluindo produtos e serviços. O planejamento fornece previsão hierárquica para centenas de milhares de séries de dados e sincroniza e aloca previsões de qualquer nível dentro da hierarquia.

Processos de identificação de padrão de consumo
Se de um lado os consumidores estão mais capacitados e conectados do que nunca, com acesso a informações em qualquer lugar, a qualquer hora – incluindo onde fazer compras, o que comprar, quanto pagar e assim por diante -, de outro lado os varejistas também possuem ferramentas para conhecer cada vez melhor o seu consumidor. Quanto mais profundo for o entendimento dos hábitos de compra e preferências de estilo de vida dos clientes, mais precisas serão as previsões de comportamentos de compra, garantindo, assim, não apenas um melhor planejamento de estoque como a maior assertividade das promoções.

Otimização de preços
Os consumidores também estão mais ligados nos preços dos produtos de seu interesse. Eles estão comparando preços online enquanto fazem compras nas lojas, possuem aplicativos que oferecem códigos de desconto e são extremamente leais aos varejistas que oferecem o melhor tratamento no momento da venda. Por isso, as empresas varejistas precisam contar com uma estratégia de otimização de preços. Muitas empresas ainda utilizam técnicas convencionais de precificação. Ao utilizar ferramentas específicas, que fornecem às companhias a melhor tomada de decisão na estratégia de preços, isso pode impactar diretamente no resultado da companhia. Os modelos de aprendizado de máquina, por exemplo, podem integrar continuamente novas informações e detectar tendências emergentes ou novas demandas de preços.

Processos de procurement
Todas as organizações que dependem de fornecedores externos têm procedimentos e controles em vigor para garantir que obtenham os itens corretos no momento certo. Mas, como qualquer outro processo de negócios, o processo de aquisição nunca é perfeito. Erros bobos e atividades fraudulentas podem afetar de maneira negativa a saúde financeira da companhia. Faturas duplicadas, fornecedores fantasmas, faturas falsas, produtos faturados que não são requisitados ou que têm um preço excessivo. Todos esses pontos precisam de atenção, e as organizações enfrentam todos esses riscos em seus processos de procurement. Estabelecer processos que mitiguem esses riscos, com o uso de plataformas automatizadas, é crucial para o bom andamento dos negócios das companhias de varejo.

Processo de alocação de estoque
Usando ferramentas de analytics para a cadeia de suprimentos, uma empresa pode fazer previsões precisas de qual será a demanda geral, fazendo melhor gestão na alocação de inventário. Além disso, também é importante para atender com agilidade a demanda em diferentes segmentos. As empresas do setor precisam melhorar seus centros de distribuição, localizados em diferentes regiões, para melhorar sua taxa geral de distribuição e, consequentemente, a satisfação do cliente.

Serviço
Latam Retail Show  – 14 a 16 de setembro

Painel ‘A evolução do canal direto ao consumidor’ – 15 de setembro – 10h45

• Cristian Figueroa | Head of LATAM Retail & Consumer Goods | SAS

• Tiago Batitucci | Diretor de Digital Commerce | Nestlé

• Christian Seidl Silva | Digital Commerce Division Manager | Grendene

• Paula Andrade | Vice-Presidente de Varejo | Natura &Co América Latina

• Alexandre Machado | Sócio-diretor | Gouvêa Consulting

Sobre o SAS
O SAS é líder global em Analytics e a maior empresa de software de capital fechado do mundo. Fundada em 1976, suas soluções são usadas em mais de 80 mil empresas em todo o planeta, incluindo 93 das top 100 companhias listadas na Fortune Global 500. No Brasil, o SAS está presente desde 1996 com escritórios em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF), atuando em setores como finanças, telecomunicações, varejo, energia, governo, educação, entre outros. A empresa também é mundialmente reconhecida por suas boas práticas de Recursos Humanos, inclusive no Brasil, onde foi incluída seis vezes consecutivas entre os três melhores empregadores do país pelo ranking Top Employers Institute. Confira o site: www.sas.com/br

Mais informações
RPMA Comunicação
Gabriel Bacci – (11) 94143-4010
Larissa Rosa – (11) 99446-7886
Carolina Rossini
sas@rpmacomunicacao.com.br

www.rpmacomunicacao.com.br

Voltar para Notícias