Siga-nos:

Varejo paulista elimina 28.470 vagas com carteira assinada

Compartilhar:

O primeiro trimestre do ano é tradicionalmente marcado pelo fechamento de vagas formais no comércio varejista

Passada a melhor época do ano para o setor – Natal e liquidações de janeiro –, é esperado um ajuste no quadro de funcionários, e em 2018 não foi diferente. De janeiro a março, o varejo paulista eliminou 28.470 vínculos com carteira assinada. Vale ressaltar, porém, que este foi o menor número de vagas fechadas para o período desde 2014.

As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), elaborada com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, obtido com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Em março, 4.738 empregos celetistas foram extintos, resultado de 76.591 admissões e 81.329 desligamentos. Dessa forma, o comércio varejista paulista encerrou o mês com um estoque ativo de 2.060.739 vínculos com carteira assinada – leve alta de 0,4% na comparação com o mesmo mês de 2017. No acumulado dos últimos 12 meses, o saldo foi positivo em 8.225 vagas.

Dentre as nove atividades pesquisadas, cinco apresentaram redução na quantidade de trabalhadores no comparativo anual, com destaque para as lojas de móveis e decoração (-1,6%) e para as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,3%). Por outro lado, os melhores desempenhos ficaram por conta dos segmentos de farmácias e perfumarias (2,9%) e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (3%).

Segundo a FecomercioSP, o desempenho negativo do mercado de trabalho formal varejista em março, assim como no primeiro trimestre de 2018, já era esperado. Esse resultado é reflexo da dispensa dos trabalhadores contratados temporariamente para o fim do ano, conforme se nota pelos fechamentos de postos de trabalho nos setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados e de supermercados, responsáveis pelo maior número de contratações no período de festas.

Ainda de acordo com a Entidade, a perspectiva dos próximos meses é de estabilização e de recuperação gradual de postos de trabalho, principalmente no segundo semestre e nos meses com datas especiais comemorativas.

Comércio varejista da região do ABCD eliminou 238 vagas celetistas em março
Segundo a FecomercioSP, o setor encerrou o mês com um estoque total de 109.811 trabalhadores formais, alta de 0,6% em relação a março de 2017
O comércio varejista da região do ABCD voltou a eliminar vagas celetistas em março. No mês, 238 postos de trabalho foram encerrados, resultado de 3.995 admissões contra 4.233 desligamentos. No acumulado de 12 meses, no entanto, o setor registrou 620 novos empregos com carteira assinada. Desta forma, o varejo da região encerrou o mês com um estoque total de 109.811 trabalhadores formais, alta de 0,6% em relação a março de 2017.

Das nove atividades pesquisadas, quatro registraram retração no estoque de trabalhadores formais em relação a março do ano passado. Os destaques negativos foram do setor de lojas de móveis e decoração (-3,4%); lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,2%) e de outras atividades (-0,5%). Por outro lado, os segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (3,6%) e de farmácias e perfumarias (1,5%) registraram as maiores taxas de crescimento na mesma base comparativa.

Região do ABCD
Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul.

Comércio varejista da região de Araçatuba fecha 135 vagas
Segundo a FecomercioSP, sete das nove atividades pesquisadas registraram mais desligamentos do que admissões no mês

Em março, o comércio varejista da região de Araçatuba encerrou 135 postos de trabalho formais, resultado de 1.282 admissões contra 1.417 desligamentos. No acumulado de 12 meses, o setor perdeu ao todo 72 vínculos na região. Com isso, o varejo encerrou o mês com um estoque ativo de 34.767 trabalhadores formais, leve queda de 0,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Entre as nove atividades pesquisadas, apenas três tiveram variação positiva no estoque de trabalhadores formais em relação a março de 2017, com destaque para os setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados (3,5%); e de concessionárias de veículos e autopeças e acessórios (ambas com 1,5%). Por outro lado, as maiores taxas de retração foram registradas pelas atividades de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-3,6%); e outras atividades (-1,9%).

Região de Araçatuba
Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Auriflama, Avanhandava, Barbosa, Bento de Abreu, Bilac, Birigui, Braúna, Brejo Alegre, Buritama, Castilho, Clementina, Coroados, Floreal, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal, General Salgado, Glicério, Guaraçaí, Guararapes, Guzolândia, Ilha Solteira, Itapura, Lavínia, Lourdes, Luiziânia, Magda, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Nova Castilho, Nova Independência, Nova Luzitânia, Penápolis, Pereira Barreto, Piacatu, Rubiácea, Santo Antônio do Aracanguá, Santópolis do Aguapeí, São João de Iracema, Sud Mennucci, Suzanápolis, Turiúba, Valparaíso, Zacarias.

Comércio varejista da região de Araraquara elimina 358 postos de trabalho
Apesar da retração mensal, no comparativo com o mesmo período de 2017, o estoque total de trabalhadores do varejo da região cresceu 0,7%

O comércio varejista da região de Araraquara fechou 358 vagas celetistas no mês de março, resultado de 2.414 admissões contra 2.772 desligamentos. Esse foi o terceiro mês consecutivo que a região eliminou postos de trabalho formais, após uma série de seis saldos positivos. No acumulado de 12 meses, porém, foram criados 467 vínculos empregatícios. Desta forma, o setor encerrou março com um estoque total de 66.827 trabalhadores formais, alta de 0,7% em relação ao mesmo período de 2017.

Das nove atividades analisadas, seis apresentaram acréscimo no estoque de empregados em relação a março de 2017, com destaque para os segmentos de farmácias e perfumarias (5,4%); e de lojas de móveis e decoração (3,3%). Por outro lado, os setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-2,7%) e de concessionárias de veículos (-1,9%) foram os que tiveram a maior redução do estoque total.

Região de Araraquara
Américo Brasiliense, Analândia, Araraquara, Boa Esperança do Sul, Borborema, Cândido Rodrigues, Corumbataí, Descalvado, Dobrada, Dourado, Fernando Prestes, Gavião Peixoto, Ibaté, Ibitinga, Ipeúna, Itápolis, Itirapina, Matão, Monte Alto, Motuca, Nova Europa, Pirangi, Pirassununga, Porto Ferreira, Ribeirão Bonito, Rincão, Rio Claro, Santa Cruz das Palmeiras, Santa Ernestina, Santa Gertrudes, Santa Lúcia, Santa Rita do Passa Quatro, São Carlos, Tabatinga, Tambaú, Taquaritinga, Trabiju, Vista Alegre do Alto.

Comércio varejista da região de Bauru fecha 88 vagas celetistas
Segundo a FecomercioSP, setor encerrou o mês com um estoque ativo de 74.334 trabalhadores formais, alta de 0,7% na comparação com o mesmo mês de 2017
O comércio varejista da região de Bauru fechou 88 postos de trabalho em março, resultado de 2.885 admissões contra 2.973 desligamentos. No acumulado de 12 meses, o varejo da região criou 497 vagas celetistas, encerrando o mês com um estoque ativo de 74.334 trabalhadores formais, alta de 0,7% em relação a março de 2017.

Das nove atividades analisadas, seis tiveram elevação no estoque total de trabalhadores formais em relação a março do ano passado. Entre elas, destacam-se os setores de farmácias e perfumarias (2,1%); e de supermercados (1,9%). Dentre os segmentos que apresentaram queda no estoque total de vínculos, os destaques foram outras atividades (-2,5%); e materiais de construção (-0,3%).

Região de Bauru
Águas de Santa Bárbara, Agudos, Anhembi, Arandu, Arealva, Areiópolis, Avaí, Avaré, Balbinos, Bariri, Barra Bonita, Bauru, Bocaina, Bofete, Boraceia, Borebi, Botucatu, Brotas, Cabrália Paulista, Cafelândia, Cerqueira César, Dois Córregos, Duartina, Getulina, Guaiçara, Guaimbê, Guarantã, Iacanga, Iaras, Igaraçu do Tietê, Itaí, Itaju, Itapuí, Itatinga, Jaú, Lençóis Paulista, Lins, Lucianópolis, Macatuba, Mineiros do Tietê, Paranapanema, Pardinho, Paulistânia, Pederneiras, Pirajuí, Piratininga, Pongaí, Pratânia, Presidente Alves, Promissão, Reginópolis, Sabino, São Manuel, Taquarituba, Torrinha, Ubirajara, Uru.

Varejo da região de Campinas elimina 587 postos de trabalho
Segundo a Entidade, apesar do resultado, no acumulado dos últimos 12 meses, o varejo criou 1.372 novas vagas celetistas

Em março, o comércio varejista da região de Campinas eliminou 587 vagas celetistas, resultado de 7.409 admissões contra 7.996 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, 1.372 novos vínculos foram criados. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 196.222 trabalhadores formais, alta de 0,7% em relação ao mesmo período de 2017.

Das nove atividades analisadas, seis tiveram elevação no estoque total de trabalhadores formais em relação a março do ano passado. Entre elas, destacam-se os setores de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento (2,6%); e de supermercados (2,1%). Dentre os segmentos que apresentaram queda no estoque total de vínculos, os destaques foram para lojas de vestuário, tecidos e calçados (-3,5%); e lojas de móveis e decoração (-2,7%).

Região de Campinas
Águas de São Pedro, Americana, Araras, Artur Nogueira, Campinas, Capivari, Charqueada, Cordeirópolis, Cosmópolis, Elias Fausto, Engenheiro Coelho, Hortolândia, Indaiatuba, Iracemápolis, Leme, Limeira, Mombuca, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Piracicaba, Rafard, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Bárbara d'Oeste, Santa Cruz da Conceição, Santa Maria da Serra, São Pedro, Sumaré, Valinhos.

Varejo na região de Guarulhos fechou 289 vagas com carteira assinada
Apesar do saldo negativo no mês, estoque total de trabalhadores cresceu 2,1% em relação a março de 2017, o melhor desempenho do Estado

Em março, o comércio varejista da região de Guarulhos fechou 289 vagas de trabalho formal, resultado das 3.820 admissões contra 4.109 desligamentos. Entretanto, no acumulado dos últimos 12 meses, foram criadas 2.141 vagas celetistas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com estoque ativo de 103.457 trabalhadores formais, alta de 2,1% em relação a março de 2017, o melhor desempenho entre as 16 regiões analisadas.

Das nove atividades analisadas pela pesquisa, sete apresentaram variação positiva no estoque de trabalhadores em março, na comparação com o mesmo mês no ano passado. Os destaques ficaram por conta dos segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (8,3%), supermercados (4%) e farmácias e perfumarias (2,2%). Por outro lado, as retrações foram registradas pelos setores de lojas de móveis e decoração (-5,4%) e materiais de construção (-1%).

Região de Guarulhos
Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mairiporã, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel, Suzano.

Varejo na região de Jundiaí fechou 453 postos formais de trabalho

Apesar de saldo negativo no mês, estoque total de trabalhadores no comércio varejista da região registrou alta de 0,6% na comparação com março de 2017  
O comércio varejista na região de Jundiaí eliminou 453 postos formais de trabalho em março, resultado de 3.864 admissões contra 4.317 desligamentos. Apesar do saldo negativo no mês, no acumulado dos últimos 12 meses foram abertas 611 novas vagas celetistas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com um estoque ativo de 102.694 trabalhadores formais, alta de 0,6% na comparação com o mês de março de 2017.

Entre as nove atividades analisadas, seis registraram crescimento no número total de empregos formais em relação a março de 2017, com destaque para os setores de autopeças e acessórios (2,9%) e farmácias e perfumarias (2,1%). Por outro lado, destacaram-se negativamente os segmentos de lojas de móveis e decoração (-3,9%) e de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-0,7).

Região de Jundiaí
Águas de Lindoia, Amparo, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Campo Limpo Paulista, Conchal, Espírito Santo do Pinhal, Estiva Gerbi, Holambra, Itapira, Itatiba, Itupeva, Jaguariúna, Jarinu, Joanópolis, Jundiaí, Lindoia, Louveira, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Monte Alegre do Sul, Morungaba, Nazaré Paulista, Pedra Bela, Pedreira, Pinhalzinho, Piracaia, Santo Antônio da Posse, Santo Antônio do Jardim, Serra Negra, Socorro, Tuiuti, Vargem, Várzea Paulista, Vinhedo.

Comércio varejista no Litoral fechou 111 postos de trabalho formais

Segundo a FecomercioSP, no acumulado de 12 meses, a região eliminou 44 vagas celetistas 
Em março, o comércio varejista na região do Litoral encerrou 111 vagas celetistas, resultado de 2.526 admissões contra 2.637 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, o varejo da região extinguiu 44 vagas, encerrando o mês com um estoque de 81.076 trabalhadores formais, queda de 0,1% na comparação com março de 2017.

Entre as nove atividades analisadas, quatro apresentaram redução no número total de empregos formais em relação a março de 2017, com destaque para as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-2,3%) e materiais de construção (-1,7%). Por outro lado, as atividades de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (5,2%) e de farmácias e perfumarias (3,0%) registraram crescimento do estoque na mesma base comparativa.

Região do Litoral
Barra do Turvo, Bertioga, Cajati, Cananeia, Cubatão, Eldorado, Guarujá, Iguape, Ilha Comprida, Itanhaém, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Miracatu, Mongaguá, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Peruíbe, Praia Grande, Registro, Santos, São Vicente, Sete Barras.

Varejo na região de Marília fechou 213 postos de trabalho formais

Apesar de saldo negativo no mês, estoque total de trabalhadores do setor teve alta de 1,2% em relação a março de 2017, o segundo melhor desempenho do Estado

Em março, o comércio varejista na região de Marília fechou 213 postos de trabalho, resultado de 1.680 admissões contra 1.893 desligamentos. No acumulado de 12 meses, entretanto, foram criadas 571 vagas celetistas, encerrando o mês com um estoque ativo de 47.222 trabalhadores formais, alta de 1,2% em relação a março de 2017, o segundo melhor desempenho do Estado.

Dentre as nove atividades analisadas, seis tiveram retração no estoque de trabalhadores formais na comparação com março de 2017. Os piores desempenhos foram vistos nos setores de lojas de móveis e decoração (-1,2%), materiais de construção e concessionárias de veículos (ambos com -1%). Por outro lado, os destaques positivos ficaram por conta das atividades de farmácias e perfumarias (4,2%) e supermercados (3,3%).

Região de Marília
Álvaro de Carvalho, Alvinlândia, Arco-Íris, Assis, Bastos, Bernardino de Campos, Borá, Campos Novos Paulista, Cândido Mota, Canitar, Chavantes, Cruzália, Echaporã, Espírito Santo do Turvo, Fartura, Fernão, Florínea, Gália, Garça, Herculândia, Iacri, Ibirarema, Ipaussu, Júlio Mesquita, Lupércio, Lutécia, Manduri, Maracaí, Marília, Ocauçu, Óleo, Oriente, Oscar Bressane, Ourinhos, Palmital, Paraguaçu Paulista, Pedrinhas Paulista, Piraju, Platina, Pompeia, Quatá, Queiroz, Quintana, Ribeirão do Sul, Salto Grande, Santa Cruz do Rio Pardo, São Pedro do Turvo, Sarutaiá, Taguaí, Tarumã, Tejupa, Timburi, Tupã, Vera Cruz.

Varejo na região de Osasco fechou 546 postos de trabalho formais
Segundo a entidade, estoque total de trabalhadores do setor recuou 1,1% em relação a março de 2017, o segundo pior desempenho do Estado de São Paulo

Em março, o comércio varejista na região de Osasco fechou 546 postos de trabalho, resultado de 5.092 admissões contra 5.638 desligamentos. Nos últimos 12 meses, foram eliminados 1.427 vínculos celetistas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com um estoque ativo de 131.541 trabalhadores formais, queda de 1,1% sobre março de 2017, o segundo pior desempenho entre as 16 regiões analisadas.

Entre as nove atividades analisadas, apenas duas apresentaram elevação no estoque total de trabalhadores em relação a março de 2017: eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (2,1%) e farmácias e perfumarias (0,8%). No sentido contrário, os segmentos de lojas de móveis e decoração (-5,1%), outras atividades (-4,1%); e concessionárias de veículos (-0,8%) registraram as maiores taxas de retração no estoque total de empregos no mesmo período.

Região de Osasco
Barueri, Caieiras, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu, Embu Guaçu, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapecerica da Serra, Itapevi, Jandira, Juquitiba, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana do Parnaíba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista.

Varejo na região de Presidente Prudente fechou 248 vagas com carteira assinada
Segundo a FecomercioSP, estoque total de trabalhadores formais recuou 1,5% em relação a março de 2017, o pior desempenho do Estado

O comércio varejista na região de Presidente Prudente fechou 248 postos de trabalho formais em março, resultado de 1.172 admissões contra 1.420 desligamentos. No acumulado de 12 meses, foram eliminados 572 vínculos empregatícios com carteira assinada. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque total de 37.511 trabalhadores formais, queda de 1,5% em relação ao mesmo mês de 2017, o pior desempenho do Estado.

Das nove atividades analisadas, seis apresentaram redução de estoque de trabalhadores formais na comparação com março de 2017. Os destaques negativos foram vistos nos segmentos de concessionárias de veículos (-5,7%), lojas de vestuário, tecidos e calçados (-4,6%) e outras atividades (-3,6%). Por outro lado, os destaques positivos ficaram por conta dos setores de farmácias e perfumarias (0,9%) e eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (0,6%).

Região de Presidente Prudente
Adamantina, Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas, Caiabu, Caiuá, Dracena, Emilianópolis, Estrela do Norte, Euclides da Cunha Paulista, Flora Rica, Flórida Paulista, Iepê, Indiana, Inúbia Paulista, Irapuru, João Ramalho, Junqueirópolis, Lucélia, Marabá Paulista, Mariápolis, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Monte Castelo, Nantes, Narandiba, Nova Guataporanga, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Pacaembu, Panorama, Parapuã, Pauliceia, Piquerobi, Pirapozinho, Pracinha, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Rinópolis, Rosana, Sagres, Salmourão, Sandovalina, Santa Mercedes, Santo Anastácio, Santo Expedito, São João do Pau d'Alho, Taciba, Tarabai, Teodoro Sampaio, Tupi Paulista.

Comércio varejista na região de Ribeirão Preto fechou 199 postos formais de trabalho

De acordo com a Entidade, apesar de saldo negativo no mês, o comércio da região criou 1.370 novas vagas celetistas no acumulado de doze meses

Em março, o comércio varejista na região de Ribeirão Preto eliminou 199 vagas formais de trabalho, resultado de 5.148 admissões contra 5.347 desligamentos. Entretanto, no acumulado dos últimos 12 meses, foram criados 1.370 postos de trabalho. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque total de 140.825 trabalhadores formais, elevação de 1% na comparação com março de 2017.
Entre as nove atividades analisadas, três registraram redução do estoque de empregos formais na comparação com março de 2017, com destaque para os segmentos de materiais de construção e de concessionárias de veículos (ambos com -1,3%). Os destaques positivos ficaram por conta dos segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento (5,7%) e de farmácias e perfumarias (2,8%).

Região de Ribeirão Preto
Aguaí, Águas da Prata, Altinópolis, Aramina, Barretos, Barrinha, Batatais, Bebedouro, Brodowski, Caconde, Cajuru, Casa Branca, Cássia dos Coqueiros, Colina, Colômbia, Cravinhos, Cristais Paulista, Divinolândia, Dumont, Franca, Guaíra, Guará, Guariba, Guatapará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Itobi, Ituverava, Jaborandi, Jaboticabal, Jardinópolis, Jeriquara, Luiz Antônio, Miguelópolis, Mococa, Monte Azul Paulista, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Restinga, Ribeirão Corrente, Ribeirão Preto, Rifaina, Sales Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, Santo Antônio da Alegria, São João da Boa Vista, São Joaquim da Barra, São José da Bela Vista, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho, Taiaçu, Taiúva, Tapiratiba, Taquaral, Terra Roxa, Vargem Grande do Sul, Viradouro.

Comércio varejista na região de São José do Rio Preto fechou 460 vagas com carteira assinada
Segundo a FecomercioSP, o setor encerrou o mês com um estoque de 79.669 trabalhadores, alta de 0,8% em relação a março de 2017

Em março, o comércio varejista na região de São José do Rio Preto fechou 460 postos formais de trabalho, resultado de 2.828 admissões contra 3.288 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, foram criadas 642 vagas celetistas. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque total de 79.669 trabalhadores formais, alta de 0,8% na comparação com março de 2017.

Das nove atividades pesquisadas, cinco apresentaram aumento no número total de trabalhadores formais em relação a março de 2017, com destaque para os setores de lojas de móveis e decoração (3,6%), de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (3,5%). No mesmo período comparativo, destacaram-se negativamente os segmentos de materiais de construção (-1,2%) e de outras atividades (-0,6%).

Região de São José do Rio Preto
Adolfo, Altair, Álvares Florence, Américo de Campos, Aparecida d'Oeste, Ariranha, Aspásia, Bady Bassitt, Bálsamo, Cajobi, Cardoso, Catanduva, Catiguá, Cedral, Cosmorama, Dirce Reis, Dolcinópolis, Elisiário, Embaúba, Estrela d'Oeste, Fernandópolis, Guapiaçu, Guaraci, Guarani d'Oeste, Ibirá, Icem, Indiaporã, Ipiguá, Irapuã, Itajobi, Jaci, Jales, José Bonifácio, Macaubal, Macedônia, Marapoama, Marinópolis, Mendonça, Meridiano, Mesópolis, Mira Estrela, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Neves Paulista, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Canaã Paulista, Nova Granada, Novais, Novo Horizonte, Olímpia, Onda Verde, Orindiúva, Ouroeste, Palestina, Palmares Paulista, Palmeira d'Oeste, Paraíso, Paranapuã, Parisi, Paulo de Faria, Pedranópolis, Pindorama, Planalto, Poloni, Pontalinda, Pontes Gestal, Populina, Potirendaba, Riolândia, Rubineia, Sales, Santa Adélia, Santa Albertina, Santa Clara d'Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita d'Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, São João das Duas Pontes, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Severínia, Tabapuã, Tanabi, Três Fronteiras, Turmalina, Ubarana, Uchoa, União Paulista, Urânia, Urupês, Valentim Gentil, Vitória Brasil, Votuporanga.

Varejo na região de Sorocaba fechou 111 postos formais de trabalho
Segundo a Entidade, entre as nove atividades analisadas, cinco apresentaram queda no estoque de trabalhadores formais em relação a março do 2017

Em março, o comércio varejista na região de Sorocaba eliminou 111 postos de trabalho formais, resultado de 4.503 admissões contra 4.614 desligamentos. No acumulado de 12 meses, porém, o saldo foi positivo, com geração de 409 vagas com carteira assinada. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque total de 110.901 trabalhadores formais, alta de 0,4% na comparação com março de 2017.

Entre as atividades analisadas, cinco apresentaram aumento no número total de trabalhadores na comparação com março de 2017, com destaque para os setores de autopeças e acessórios (4,0%) e farmácias e perfumarias (2,3%). Por outro lado, as retrações foram vistas nos segmentos de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,9%), de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-0,6%) e de supermercados (-0,1%).

Região de Sorocaba
Alambari, Alumínio, Angatuba, Apiaí, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Barão de Antonina, Barra do Chapéu, Boituva, Bom Sucesso de Itararé, Buri, Cabreúva, Campina do Monte Alegre, Capão Bonito, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Conchas, Coronel Macedo, Guapiara, Guareí, Ibiúna, Iperó, Iporanga, Itaberá, Itaoca, Itapetininga, Itapeva, Itapirapuã Paulista, Itaporanga, Itararé, Itu, Jumirim, Laranjal Paulista, Mairinque, Nova Campina, Pereiras, Piedade, Pilar do Sul, Porangaba, Porto Feliz, Quadra, Ribeira, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sarapuí, Sorocaba, Tapiraí, Taquarivaí, Tatuí, Tietê, Torre de Pedra, Votorantim.

Comércio varejista na região de Taubaté eliminou 462 vagas celetistas

De acordo com a FecomercioSP, cinco das nove atividades pesquisadas registraram queda no estoque de trabalhadores formais em relação a março de 2017

Em março, o comércio varejista na região de Taubaté eliminou 462 postos de trabalho formais, resultado de 3.568 admissões contra 4.030 desligamentos. No acumulado de 12 meses, o setor fechou 534 vagas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com estoque total de 99.066 trabalhadores formais, retração de 0,5% em relação ao mesmo período de 2017.

Entre as nove atividades analisadas, apenas três apresentaram aumento no estoque total de trabalhadores em relação a março de 2017, com destaque para eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (4,2%) e autopeças e acessórios (2,6%). No entanto, os segmentos de lojas de móveis e decoração (-3,4%) e de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-3,3%) tiveram as maiores quedas no estoque de empregados na mesma base de comparação.

Região de Taubaté
Aparecida, Arapeí, Areias, Bananal, Caçapava, Cachoeira Paulista, Campos do Jordão, Canas, Caraguatatuba, Cruzeiro, Cunha, Guaratinguetá, Igaratá, Ilhabela, Jacareí, Jambeiro, Lagoinha, Lavrinhas, Lorena, Monteiro Lobato, Natividade da Serra, Paraibuna, Pindamonhangaba, Piquete, Potim, Queluz, Redenção da Serra, Roseira, Santa Branca, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São José do Barreiro, São José dos Campos, São Luiz do Paraitinga, São Sebastião, Silveiras, Taubaté, Tremembé, Ubatuba.

Nota metodológica
A Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo) analisa o nível de emprego do comércio varejista. O campo de atuação está estratificado em 16 regiões do Estado de São Paulo e nove atividades do varejo: autopeças e acessórios; concessionárias de veículos; farmácias e perfumarias; lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamentos; materiais de construção; lojas de móveis e decoração; lojas de vestuário, tecidos e calçados; supermercados; e outras atividades. As informações são extraídas dos registros do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 138 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro -, gerando em torno de 10 milhões de empregos.

Mais informações:
Assessoria de imprensa FecomercioSP
Clarisse Ferreira - 
cferreira@fecomercio.com.br
(11) 3254-1701
Aline Carvalho - 
acbatista@fecomercio.com.br
(11) 3254-1703
Raíza Dias - 
raiza.dias@tutu.ee
(11) 3254-1702
Ana Paula Fonseca - 
anapaula.fonseca@tutu.ee
(11) 94291-8055
Aline Queiroz - 
aline.queiroz@tutu.ee
(11) 96860-1503
Lilian Michelan - 
lilian.michelan@tutu.ee
(11) 94136-0648
Andrea Ramos Bueno - 
andrea.bueno@tutu.ee
(11) 94227-4514
Siga a FecomercioSP no Twitter - 
www.twitter.com/fecomercio
Conheça nossa página no Facebook - 
www.facebook.com/fecomercio

Nenhum comentário

Deixe um comentário