Siga-nos:

Superbid aposta em leilões virtuais

Compartilhar:

Com a queda na venda de veículos novos e usados, a necessidade de manutenção preventiva e corretiva aumenta, movimentando o mercado de peças novas e usadas.

Com a venda de carros e caminhões novos e usados estagnada no país, a necessidade de manutenção preventiva e corretiva aumenta. Por isso, a Superbid, maior plataforma online de leilões da América Latina, passa a apostar na venda de autopeças novas e usadas, procedentes de montadoras, distribuidores, frotistas e desmontadoras credenciadas no DETRAN.

Atualmente, a Superbid já é referência em leilões de peças novas com garantia de procedência oriundas de empresas como Fiat, Mitsubishi, Renault, JSL, MWM, Delphi e Concessionárias GM. Em média, a plataforma oferta 100 lotes semanais nesta categoria.

Para atuar neste mercado de peças usadas, a Superbid já conta com grandes parceiros como a Renova EcoPeças, desmontadora do grupo Porto Seguro, e a JR Diesel, maior centro de desmontagem de caminhões da América Latina. O crescimento esperado para a categoria é de 200% em até um ano.

Arthur Rufino, diretor da Superbid e um dos idealizadores da Lei do Desmanche Legal, explica os motivos da estratégia. "Diante do aumento de demanda por peças novas e usadas, os leilões dessa categoria passam a ser uma oportunidade de intensa economia, mesmo em peças tradicionalmente inacessíveis aos varejistas, como peças genuínas de montadoras", diz Rufino.

No mercado em geral, a participação da reposição no faturamento da indústria de autopeças passou de 14% para 23% no ano passado. De acordo com dados do Sindipeças, o mercado de reposição cresceu 2,3% em 2016, enquanto a venda de autopeças originais (para as montadoras) encolheu 1,3%.

A compra dessas peças revela-se também um grande negócio para os lojistas desse segmento em busca de desempenho, confiabilidade, durabilidade e economia. "Estamos criando uma relação com o varejista de autopeças muito parecida com o que ele já tem com seu distribuidor, formatando lotes pequenos, para evitar capital parado em estoque e leilões semanais, para que ele possa incorporar o leilão na rotina do seu departamento de compras, saindo da esfera da oportunidade pontual", garante o executivo.

Nenhum comentário

Deixe um comentário