Siga-nos:

Programa ROTA 45 capacita lojas de autopeças e oficinas mecânicas

Compartilhar:

Programa Setorial Automotivo ROTA 45 promove Capacitação, Qualificação e Certificação para Lojas de Autopeças e Oficinas Mecânicas (CNAE 45)

O Programa ROTA 45 – Capacitação, Qualificação e Certificação de Lojas de Autopeças e Oficinas Mecânicas (CNAE 45) é parte da estratégia elaborada pelo Sincopeças-SP e Sindirepa-SP para implantação de uma Política Setorial que incentive e promova o desenvolvimento do aftermarket automotivo a partir dos varejos de autopeças e das empresas de reparação de veículos. O programa conta com atuação direta do Sebrae-SP para capacitação e do IQA – Instituto da Qualidade Automotiva para qualificação e certificação das empresas, além de apoio do Cesvi Brasil, IAA - Instituto da Administração Automotiva e Automec Feira, entre outras entidades que se integrarão ao longo do processo.

O Programa ROTA 45 foi elaborado a partir do Programa Rota 2030, que sinaliza profundas transformações para o setor automotivo, seja nos veículos e na forma de usá-los, seja na forma de produzi-los, o que certamente irá impactar o  mercado de reposição, afetando diretamente as oficinas reparadoras de veículos e os comerciantes varejistas de autopeças, empresas cadastradas com CNAE 45.

Para o presidente do Sincopeças-SP e vice-presidente da FecomercioSP, Francisco De La Tôrre, a iniciativa é importante para dar suporte às empresas e gerar credibilidade e sustentação em um mercado altamente competitivo, principalmente neste momento, com a entrada de novas tecnologias. “Nosso mercado sempre foi visto e pejorativamente chamado de mercado paralelo e, por ser um mercado em franco processo de consolidação e profissionalização, somente com gestão e boas práticas é que as empresas conseguirão se perenizar. O Sincopeças, através de sua força institucional, em parceria com o Sebrae e o IQA, objetiva viabilizar o pequeno empresário na trajetória de consolidação do seu negócio, por meio de boas práticas, de gestão eficiente e de ferramentas modernas”, afirma.

De La Tôrre alerta que, em um mercado tão agressivo e de forte concorrência, é fundamental que o varejista busque suporte gerencial. “O Sebrae tem demonstrado ser a melhor entidade que atende essas necessidades, inclusive com viabilidade financeira porque o varejista que buscar uma consultoria isoladamente terá de arcar com custos que se tornam insuportáveis para a sua realidade financeira”, garante.

Na visão do presidente do Sincopeças-SP, a profissionalização e otimização da gestão das empresas varejistas de autopeças e de reparação de veículos enriquece o mercado. “Isso é fundamental para oferecer credibilidade ao consumidor final e para uma sociedade que exige, cada vez mais, boas práticas por parte das empresas, justamente o que o Sincopeças, juntamente com outras entidades, busca oferecer a partir do Programa ROTA 45”, assegura De La Tôrre.

 

Melhoria da competitividade

Na linha de frente para disseminar o programa junto a toda cadeia automotiva, o diretor da Alvarenga Projetos Automotivos e Conselheiro do IQA, Luiz Sergio Alvarenga, ressalta que o ROTA 45 tem objetivo de aumentar a competitividade das micro e pequenas empresas do aftermarket automotivo, por meio da sua capacitação, qualificação e certificação, e carrega como pressupostos princípios da qualidade para melhoria da competitividade. “De forma complementar, as políticas de estímulo ao uso de consultorias dedicadas visam a dotar as microempresas com ferramentas que lhes permitam alcançar a capacitação e posteriormente a certificação, conferindo-lhes condições de competitividade no mercado”, diz.

Alvarenga adverte que não se trata simplesmente de ampliar a competitividade somente via redução de custos, mas também por meio da organização gerencial, identificação de processos e de vendas. “A importância da política de estímulo por meio da qualificação ou certificação justifica-se pelo fato de que o desenvolvimento da indústria automotiva brasileira está atrelado às grandes montadoras globais, cujos centros de decisões estão em suas matrizes, fora do Brasil, o que dificulta a pronta reação do mercado de reposição. Além disso, o investimento em qualidade é bem menor que o custo da não-qualidade”, garante.

Em seu entender, o governo federal preocupa-se com setores extrativista e primário, em função de exportações, importações, balança comercial, com toda estruturação de segurança envolvendo veículos automotores e autopeças. “Nada mais justo, mas, no entanto, ele sinaliza que, para baixo, o mercado de pós-venda tem de se autorregular e as instituições entenderam que deveriam criar um projeto de longo prazo, similar ao Rota 2030 das montadoras, para levar as micro e pequenas empresas rumo a um caminho mais seguro, calcado em capacitação e com atestado de certificação, ou seja, o programa contempla muitos assuntos ligados à gestão, bem-como possíveis não-conformidades técnicas, que permitem à empresa estar competitiva nesse mercado de mudanças, seja do ponto de vista da mobilidade, com a mudança do perfil do consumidor, como também das inovações tecnológicas, cada vez mais com eletrônica e telemetria incorporadas aos veículos automotores, além das rápidas mudanças que estão acontecendo no mundo, e consequentemente no Brasil, que tira da zona de conforto tudo o que vínhamos fazendo nos últimos 50 anos, seja quanto à venda da peça pelo varejista, seja quanto aos serviços do reparador com a manutenção dos veículos”, comenta.

Segundo Alvarenga, um programa de longo prazo como o ROTA 45 prevê todas essas mudanças. “Capacitar e trabalhar um público de mais de 200 mil empresas é algo que realmente tem que ter um programa de longo prazo, com efeito viral contaminante muito forte e apoio das indústrias de autopeças, seguradoras, concessionárias, montadoras, enfim, toda cadeia de valor que tem um grande interesse nessa base de varejistas e oficinas como propulsionador dos negócios de peças e serviços e das marcas no País. Entendemos que esses são os pilares e a essência do Programa ROTA 45, e o único palpável do ponto de vista da acreditação porque envolvemos duas instituições muito acreditadas que são o Sebrae – focado na micro e pequena empresa, com vasta experiência e bem capilarizado inicialmente no Estado de São Paulo e depois pelo Brasil – e o IQA, um organismo extremamente acreditado no setor automotivo e junto ao Inmetro, que vem coroar esse trabalho com começo, meio e fim. Dessa forma, começamos uma capacitação com o Sebrae e concluímos com a certificação do IQA ao final. Assim, entregamos algo consistente à sociedade, então, quem ganha é a sociedade e a cadeia de valor que vai conseguir encontrar empresas elegíveis para possíveis projetos de cooperação, redes de negócios e situações que movimentem comercialmente esse mercado de 100 bilhões de reais”, conclui Alvarenga.

 

O Programa

O Programa ROTA 45 visa a solucionar dificuldades enfrentadas pela reposição automotiva, tais como:

  • baixa competitividade das microempresas de reparação de veículos e varejistas de autopeças, que resulta na imagem junto aos consumidores;
  • risco de enfraquecimento de investimentos por parte da indústria e distribuidores de peças, devido às constantes devoluções/garantias de autopeças;
  • capacitação empresarial face às transformações da mobilidade, que precisa ser direcionada para esses novos tipos de consumidores;
  • risco de perda do acompanhamento no desenvolvimento de tecnologias que utilizam biocombustíveis e eletrônica, com impactos na cadeia produtiva.

Partindo de ampla discussão e análise do Sincopeças-SP, Sindirepa-SP, Sebrae-SP e IQA, o Programa ROTA 45 – Capacitação, Qualificação e Certificação de Oficinas e Lojas de Autopeças foi pensado como Política Setorial de longo prazo, divididos em três momentos. O Programa possui e explicita metas objetivas e mensuráveis e dota as empresas de instrumentos e estímulos para viabilizá-las. Trata-se de uma política que confere a previsibilidade necessária para que as empresas possam se adaptar e programar os seus investimentos.

O Programa ROTA 45 tem como público-alvo as microempresas de reparação de veículos e varejistas de autopeças, entretanto, seus resultados serão externados à cadeia de valor formada por indústrias de autopeças, montadoras de veículos, concessionárias, distribuidores, seguradoras e toda sociedade, especialmente por meio do abastecimento adequado de autopeças para a manutenção dos veículos em circulação.

Estrutura da estratégia

1-Requisitos da Capacitação – A empresa será direcionada para a trilha de consultoria e capacitação e dará o primeiro passo para atingir o objetivo de qualificação ou certificação, com todos os conceitos básicos da qualidade inseridos.

2-Requisitos da Qualidade

Os referidos requisitos são relativos a qualificação e certificação estabelecidos junto ao Instituto da Qualidade Automotiva, organismo acreditado pelo INMETRO:

  • Diagnóstico prévio – É realizado um diagnóstico na empresa de reparação de veículos ou varejista de autopeças para identificar sua situação atual e orientar sobre o caminho a seguir – qualificação ou certificação;
  • Qualificação – A empresa que atingir a condição máxima de requisitos estabelecidos nesta modalidade, confirmando seus controles de gestão, recebe sua credencial e aproxima-se da certificação;
  • Certificação – A empresa que atingir a condição máxima de requisitos da qualidade estabelecidos nesta outra modalidade, confirmando seus controles de gestão, torna-se elegível aos novos negócios e recebe sua credencial.

3-Consultoria

Empresas cadastradas no ROTA 45 devem realizar dispêndios controlados de consultoria face ao diagnóstico prévio e contarão com ampla assistência nos diversos segmentos de atuação, conforme abaixo, além de outras que se engajarem.

  • A trilha já subsidiada do Sebrae-SP solucionará parte das não-conformidades eventualmente encontradas no diagnóstico prévio;
  • Os serviços do CesviBrasil encontrarão ambiente adequado para atuação nas empresas de reparos por colisão e consequentemente no fornecimento adequado de autopeças pelas lojas, devido à sintonia com programas de estímulo de empresas seguradoras;
  • Consultorias independentes como do IAA – Instituto da Administração Automotiva disponibilizarão soluções rápidas e práticas, todas em sintonia com o objetivo de capacitação ou certificação das empresas.

Por fim, as empresas obterão os certificados de qualificação ou certificação, credenciais que, além de melhoria interna, permitirão sua maior visibilidade junto ao mercado.

Grupo de acompanhamento

Sincopeças-SP, Sindirepa-SP, Sebrae-SP e IQA acompanham o Programa ROTA 45 e estimulam a aproximação da cadeia de valor por meio de reuniões customizadas junto a indústrias de autopeças, montadoras de veículos, distribuidoras de autopeças, concessionárias, seguradoras, fornecedores de equipamentos, tintas, insumos etc.

Todas as empresas que participam do aftermarket podem participar do Programa ROTA 45, basta entrar em contato com o Sincopeças-SP ou Sindirepa-SP.

 

BOX 1

Setor da reparação automotiva ganha incentivo para competitividade

Por Alexandre Xavier

Um programa setorial de longo prazo começa a ser desenhado com o propósito de fomentar a competitividade do mercado da reparação automotiva, inicialmente, no Estado de São Paulo. Trata-se do ROTA 45, cuja finalidade é preparar, capacitar, qualificar e certificar as oficinas de reparação mecânica de veículos e lojas de autopeças – empresas cadastradas com a CNAE 45, em preparação para as profundas mudanças do setor automotivo que já estão em curso, sinalizadas pelo programa federal Rota 2030 e por legislações federais como Lei da Liberdade Econômica, nova legislação trabalhista, nova previdência social, desburocratização da máquina pública e, principalmente, o novo perfil de cliente com a conexão por meios digitais. São mudanças significativas que certamente terão impacto direto no aftermarket automotivo.

O ROTA 45 foi idealizado pelo Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios) e pelo Sincopeças-SP (Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios para Veículos), em parceria com o IQA (Instituto da Qualidade Automotiva) e o Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), além de contar, no momento, com o apoio da Automec Feiras e as consultorias do Cesvi Brasil e do IAA (Instituto da Administração Automotiva).

Nesta parceria, o IQA, organismo acreditado pelo INMETRO, oferece serviços de qualificação e certificação que fomentam a melhoria contínua da qualidade de cada empresa na medida em que ampliam o conhecimento em relação aos novos processos de gestão e proporcionam condições de competitividade e maior visibilidade junto ao mercado. O IQA, atento às mudanças do mercado e na vanguarda dos processos da gestão da qualidade com foco na eficiência do negócio, entendeu o quão importante é esta iniciativa para o setor. Todo o trabalho se inicia com o diagnóstico sobre a situação da empresa, a partir do qual o gestor da oficina mecânica de veículos ou loja de autopeças recebe orientação sobre ações necessárias para melhoria dos processos, indicadas para a qualificação ou a certificação da qualidade.

Assim, o ROTA 45 representa a ampliação do trabalho de incentivo à qualidade realizado no aftermarket por meio do PIQ (Programa de Incentivo da Qualidade), dedicado à certificação de oficinas, uma vez que agrega também lojas de autopeças, que terão mais possibilidades de serem certificadas com diversos benefícios, promovendo a qualidade de dois atores – oficinas e autopeças – fundamentais da cadeia, que precisam trabalhar em sinergia e estar preparados para as novas tecnologias automotivas e os avanços nos processos de gestão, a fim de proverem serviços de qualidade e com agilidade para um mercado cada vez mais exigente e qualificado.

Uma empresa certificada tem todas as condições de desenvolver negócios sustentáveis. Da mesma forma que a oficina de reparação mecânica de veículos precisa ter eficiência desde a recepção do cliente até a entrega do veículo, o varejista de autopeças precisa investir na melhoria contínua dos processos internos, do registro de produtos ao atendimento no balcão, de modo que possa entregar as autopeças corretas com a devida agilidade às oficinas para redução de erros nos processos de reparação automotiva.

Esta é uma oportunidade para o empresário revisitar o negócio com base nos pilares que sustentam um sistema de gestão orientado para a qualidade. Com a empresa certificada, o gestor passa a ter o controle dos processos com métodos de trabalho mais eficientes e colhe uma série de resultados, como aumento da produtividade, redução de custos e desperdícios, ampliação do faturamento e participação em licitações e tomadas de preço de organizações públicas e privadas.

Do Estado de São Paulo para o Brasil. Esta é a expectativa para o ROTA 45, cujo movimento de inclusão será progressivo, de modo que microempresas de reparação de veículos e varejistas de autopeças de todo País serão inseridas e preparadas para a competitividade do setor automotivo, com reflexos positivos em toda cadeia de valor e sociedade, a partir da adequada manutenção dos veículos em circulação.

Alexandre Xavier é superintendente do Instituto da Qualidade Automotiva (IQA)

 

 BOX 2

DPK apoia Programa ROTA 45

Por Jader Mantellato

Nos dias de hoje os reparadores deram um grande salto, deixando aquela imagem de oficina suja e desorganizada.

Entendendo que os desafios agora são outros, veículos com mais tecnologias, internet das coisas, novos ferramentais e principalmente consumidores mais inteligentes e atualizados.

Os profissionais da reparação do futuro terão que aprender e empreender em seus negócios constantemente, buscando sempre as melhores ROTAS que os façam aperfeiçoar suas técnicas, gerando mais lucros a suas empresas.

Alinhados com esses conceitos, nós da DPK Distribuidora unimos força com o SINDIREPA e SEBRAE -SP, apoiando o projeto ROTA 45, estendendo os treinamentos aos clientes pertencentes a nossa rede MAXXISERVICE do Estado de São Paulo em 2020, buscando qualificar ainda mais o reparador paulista.

Jader Mantellato é gerente de Novos Negócios da Comercial Automotiva DPK.

Nenhum comentário

Deixe um comentário