Siga-nos:

Renault revela o carro-conceito elétrico MORPHOZ

Compartilhar:

Veículo futurista reapresenta a visão da Renault para a mobilidade elétrica pessoal e compartilhável a partir de 2025

Ultrapassando limites
Aproxime-se do carro, ele vai fazer um sinal. Ele vai reconhecer e dar as boas-vindas a você. Sente-se e prepare-se para uma experiência totalmente inédita: você está em um veículo inteligente e modular, que ultrapassa todos os limites. Um veículo sob medida, que se adapta a todos o tipo de uso, tanto nos trajetos curtos do dia a dia ou para viagens mais longas. Um veículo pessoal que é compartilhado quando não está sendo utilizado por você. Um veículo pensado para ser integrado em vários ecossistemas e favorecer as interações. Um veículo autônomo para dirigir ou se deixar levar.
Este veículo futurista reapresenta a visão da Renault para a mobilidade elétrica pessoal e compartilhável a partir de 2025. Chamado de MORPHOZ, ele foi criado com base na futura plataforma modular elétrica CMF-EV da Aliança, para oferecer várias configurações de potência, capacidade e autonomia, além de experiência a bordo e volume do porta-malas.
Fiel ao DNA da marca, o conceito MORPHOZ representa, na estratégia de design da Renault em torno do ciclo de vida, o aspecto relacionado à “Família”. Mas ele não remete apenas a uma visão exploratória da mobilidade. Em seu design, detalhes e apresentação interna, ele também prefigura uma nova família de modelos elétricos Renault, que chegará nos próximos anos.
O principal obstáculo à compra de um veículo elétrico continua sendo a autonomia – real ou suposta – para o uso pretendido. Mas esta ideia restritiva da mobilidade elétrica desaparecerá em breve, e o conceito Renault MORPHOZ é a melhor demonstração disso.
“Audacioso pela modularidade, inovador em termos de design, centrado no ser humano pela capacidade de facilitar o compartilhamento e as interações, o conceito MORPHOZ representa perfeitamente a nova filosofia LIVINGTECH™ do design da Renault. A tecnologia em todas as suas formas – design, inteligência embarcada, conectividade, layout interno – oferece uma nova experiência de condução para todos os usuários do veículo. Tanto no dia a dia como no fim de semana e nas férias. O conceito MORPHOZ é uma verdadeira experiência para curtir”. Laurens van den Acker, diretor de Design Industrial do Grupo Renault
“O MORPHOZ prefigura nossos próximos veículos elétricos de alta performance. A plataforma modular dedicada CMF-EV otimiza a eficiência energética do veículo, enquanto a maior distância entre eixos, o assoalho plano e as rodas posicionadas nos quatro cantos oferecem novas possibilidades, permitindo um design atraente e uma habitabilidade muito maior”. Gilles Normand, diretor da Divisão de Veículos Elétricos e Serviços de Mobilidade do Grupo Renault
Dentro ou fora da cidade: a mobilidade elétrica sem restrições
Pioneiro e líder em mobilidade elétrica, o Grupo Renault lançou oito veículos elétricos em dez anos, tendo continuamente aumentado a autonomia e a potência de seu principal modelo no segmento, o ZOE, para melhorar a funcionalidade e fazer com que os usuários possam ir mais longe. Ao mesmo tempo, o Grupo desenvolveu o Twingo Z.E., que oferece uma autonomia adaptada para uso na cidade. O portfólio de modelos também inclui o SUV compacto urbano, o Renault City K-ZE, comercializado na China, e a maior gama de veículos utilitários elétricos na Europa.
Por meio de sua visão de oferecer uma mobilidade sustentável para todos, o Grupo Renault trabalha para ofertar em suas diferentes gamas modelos adaptados a todos os usos em termos de tamanho, peso, potência e autonomia, para atender as necessidades de seus clientes sem restrições, dentro ou fora da cidade.
O Grupo Renault vai ultrapassar ainda mais limites no futuro. É isso o que reapresenta o Renault MORPHOZ, um carro-conceito exploratório, mas que vai muito além. O MORPHOZ também antecipa uma futura família de modelos elétricos da gama Renault. Modelos que poderão dispor de várias capacidades de baterias. Modelos que contarão com os últimos avanços tecnológicos, para otimizar a eficiência energética das baterias e motorizações embarcadas. Modelos que chegarão com melhorias estruturais e de performance dos sistemas de recarga. Modelos que oferecerão serviços conectados, para otimizar os trajetos e o processo de recarga.
Plataforma elétrica dedicada
Esta visão da mobilidade elétrica, que será personificada pelos futuros veículos da gama Renault, será possível graças a uma base técnica dedicada. O Renault MORPHOZ foi criado com base em uma novíssima plataforma modular 100% elétrica, chamada de CMF-EV.
Assim como a nova CMF-B, inaugurada no ano passado pelo Clio e utilizada no novo Captur, a plataforma CMF-EV também foi desenvolvida em conjunto pela Aliança. Ela permite o design, desenvolvimento e produção de veículos elétricos, oferecendo inúmeras vantagens em relação a uma plataforma desenvolvida para motorizações térmicas ou para um uso misto térmico/elétrico.
Primeiro em termos de estilo: a arquitetura inovadora da plataforma permite que o veículo tenha um entre eixos com rodas posicionadas nos quatro cantos, menor balanço e um assoalho plano. Com isso, há uma mudança radical nas proporções físicas, resultando em visual surpreendente. Associada a uma bateria otimizada, a plataforma CMF-EV permite desenvolver veículos com menor distância do solo e um teto mais baixo, oferecendo uma grande habitabilidade, além de um ganho fundamental em aerodinâmica. Mais curto, o capô do motor permite ampliar a cabine, resultando em linhas mais elegantes.
Esta nova plataforma também oferece uma condução dinâmica, com chassi e estrutura otimizados para o veículo elétrico, bem como um centro de gravidade mais baixo, graças à localização das baterias embaixo do assoalho, na traseira.
Por fim, em termos de experiência a bordo e disposição interna. Menos volumoso que um motor térmico, o motor elétrico utilizado na plataforma CMF-EV permite otimizar e deslocar o painel de bordo para aumentar o volume carga e o espaço para os passageiros – principalmente para os joelhos no banco traseiro. A ausência de túnel do eixo de transmissão também permite ter um assoalho plano, oferecendo mais espaço para as pernas. Agora, os veículos poderão oferecer uma habitabilidade que só era vista anteriormente no segmento superior.
MORPHOZ: um veículo pessoal modular, feito para cada necessidade
O Renault MORPHOZ é um crossover-conceito modular 100% elétrico e recarregável por indução, mesmo em rodagem. Ele é conectado e equipado com funções de condução autônoma de nível 3. Assim como no conceito SYMBIOZ, revelado em 2017, este veículo pessoal é equipado com funções específicas de compartilhamento.
A modularidade do carro-conceito MORPHOZ se revela na transformação física de suas duas versões: a versão curta (“City”) e a versão longa (“Travel”). Este veículo é capaz de se adaptar ao modo de vida de seus usuários, seja no uso diário ou para uma viagem de férias, por exemplo.
Enquanto a versão City conta com a capacidade das baterias necessária para atender as necessidades diárias, a versão Travel pode receber uma capacidade adicional, permitindo cobrir distâncias mais longas na estrada.
Modo City
Na versão curta City, o Renault MORPHOZ mede 4,40 metros de comprimento. Com 2,73 metros, ele tem um entre-eixos recorde para este comprimento de veículo, permitindo acomodar facilmente os 40 kWh de baterias embarcadas de série, com um peso reduzido e sem gastos desnecessários. Do lado de dentro, a experiência a bordo é digna de um modelo do segmento superior.
Nesta configuração, o MORPHOZ apresenta uma assinatura luminosa específica, com um visual imponente, destacado pela iluminação adicional em LED. Seu estilo também é mais atraente, com um capô curto, para-choques esculpidos e a ausência de balanço graças ao posicionamento das rodas nos quatro cantos da carroceria, uma referência à agilidade do veículo urbano com motorização elétrica.
Modo Travel
Na versão longa Travel, o Renault MORPHOZ mede 4,80 metros de comprimento. Seu entre-eixos aumenta na mesma proporção para 2,93 metros, uma transformação que melhora tanto a capacidade de armazenagem das baterias como o espaço interno. Assim, é possível embarcar baterias adicionais para aumentar a potência em 50 kWh (capacidade total de 90 kWh), oferecer mais espaço para as pernas dos passageiros e para duas malas adicionais. Esta transformação permite enfrentar distâncias mais longas e otimizar a aerodinâmica, graças ao perfil e a frente mais afunilados. A versão Travel conta com uma iluminação frontal específica.
Como funciona o Travel Extender
A capacidade nominal da bateria do Renault MORPHOZ (40 kWh na versão City) dá a ele uma autonomia de 400 km, o que é mais do que suficiente para o uso urbano e semiurbano no dia a dia. Isso confere a ele certa flexibilidade, permitindo atender mais de 90% das necessidades dos usuários.
Para os 10% restantes das necessidades de cobrir distâncias mais longas, o MORPHOZ pode receber um módulo adicional de baterias, chamado de “Travel Extender”. Em um posto dedicado, o veículo é transformado na versão Travel, enquanto uma portinhola localizada no assoalho plano se abre acima do compartimento do posto, por meio do qual são instalados 50 kWh de baterias adicionais no veículo. Em apenas alguns segundos, o MORPHOZ sai do posto com uma autonomia de 700 km para uso na estrada.
Ao retornar da viagem, o usuário passa novamente em um posto para devolver as baterias adicionais e voltar para a configuração City do veículo e a capacidade inicial de 40 kWh. O posto recarrega as baterias, para que elas estejam novamente prontas para uso. Ele também pode utilizá-las para outros fins, enquanto elas não estão sendo utilizadas por outro veículo: alimentação de um posto de recarga de bicicletas elétricas de aluguel, armazenagem de energia de fontes renováveis ou iluminação de uma infraestrutura ou edifício anexo, por exemplo (ver detalhes na página 16).
Cabine adaptativa para o condutor e passageiros
Graças aos seus sensores, o conceito Renault MORPHOZ acende as luzes para mostrar que detectou a aproximação e reconheceu o condutor que assumirá o controle ao volante. Basta um gesto com a mão para destravar o veículo e abrir as portas. A abertura do tipo ‘suicida’ permite a ausência da coluna central e facilita a entrada dos passageiros na cabine mais aconchegante, iluminada pelo tecido amarelo dos bancos e o console central. Assim como a carroceria, esta cabine se transforma para se adaptar às necessidades do condutor e dos passageiros.
Painel retrátil LIVINGSCREEN
O condutor conta com um volante futurista, cuja tela de 10,2’’ ao centro apresenta as principais informações de condução e segurança. Atrás do volante se encontra um painel de bordo envolvente, com uma tela multimídia e um painel de instrumentos que foge do tradicional.
Mediante um comando do condutor – que tem a opção de fazer as telas desaparecerem – este painel de bordo se abre por meio de uma cinemática de ponta, fazendo surgir o painel de bordo LIVINGSCREEN. Esta grande tela apresenta tanto as informações de condução como do sistema multimídia.
O painel LIVINGSCREEN pode ser utilizado tanto no modo de condução manual como autônomo.
Banco do passageiro basculante
A cabine do MORPHOZ conta com um modo de “Compartilhamento”, para que os passageiros – mas não o condutor, que sempre mantém a atenção no caminho à frente – fiquem sentados frente a frente, podendo interagir e compartilhar atividades.
Para isso, o banco do passageiro dianteiro gira simetricamente para trás, para ficar de frente para a parte traseira. Já os passageiros podem usufruir do console central que atravessa a cabine e da grande tela, como se estivessem na sala de estar de sua casa.
Bancos traseiros deslizantes
Quando o MORPHOZ passa do modo City para o modo Travel, as poltronas dos passageiros traseiros podem ser automaticamente deslocadas para trás, para aproveitar melhor o espaço interno extra.
Assim, os passageiros têm mais espaço para as pernas, podendo também se acomodar como se estivessem em poltronas em torno de uma mesa, simbolizada pela tela do console central que atravessa a cabine.
Condução autônoma de nível 3
O conceito Renault MORPHOZ permite a condução autônoma de nível 3, segundo os 5 níveis definidos pela SAE Internacional. Também chamado de “Eyes off - Hands off”, este nível permite que o condutor solte as mãos do volante para delegar a condução ao veículo em determinadas situações específicas, nas faixas de rodagem permitidas, em autoestradas ou congestionamentos em via expressa.
O veículo é capaz de gerenciar a distância em relação ao veículo que segue à frente, manter-se na faixa de rodagem nas curvas e se mover em congestionamentos. Entretanto, o condutor precisa ter condições de reassumir o controle rapidamente, caso seja alertado pelo sistema. Isso pode ocorrer em caso de mau tempo ou ausência de marcação das pistas, por exemplo, o que impediria a visibilidade pelos sensores. É por isso que o volante do MORPHOZ se mantém no mesmo lugar, mesmo quando a grande tela do painel de instrumentos fica recolhida no painel.
Com o nível 3 de condução autônoma, o condutor delega o controle do veículo. Com as mãos e os olhos livres da condução, ele pode, por exemplo, utilizar o sistema multimídia do carro para ditar e-mails e mensagens de texto ou ler conteúdos.
Atualmente, a Renault oferece o Assistente Highway & Traffic Jam Companion em seus modelos mais recentes, conforme o país (Clio, novo Captur, novo Espace, novo Mégane e novo Talisman). O sistema combina o regulador adaptativo de velocidade (com Stop & Go) e o assistente de permanência na faixa, recursos de autonomia de nível 2. Até o final de 2020, a Renault vai oferecer o Assistente Highway & Traffic Jam Companion em 16 configurações de veículos diferentes na Europa, Coreia e China.
Quando a regulamentação e as evoluções tecnológicas permitirem o uso do nível 3 de forma mais ampla, os modelos Renault serão equipados com uma tecnologia autônoma de nível 3. Enquanto isso, os dispositivos de assistência à condução, como o Assistente Highway & Traffic Jam Companion, vão evoluir para incluir a conectividade com outros veículos e infraestruturas.
Assim como demonstrado no SYMBIOZ Demo Car, em 2017, os veículos Renault poderão oferecer uma condução autônoma de nível 4.
Projeto elétrico aumenta eficiência e personalidade
Com um comprimento de 4,40 ou 4,80 metros, conforme o modo de utilização (para uma largura de 2 metros e altura de 1,55 metro), o conceito Renault MORPHOZ é um crossover com linhas ao mesmo tempo esticadas e sensuais. O design associa atributos dos sedãs, SUVs e cupês. Este estilo inédito é resultado da utilização de uma novíssima plataforma modular CMF-EV, especialmente dedicada às motorizações elétricas. A carroceria exibe uma elegante pintura metálica Ivory Gold, enquanto os detalhes Electric Yellow contrastam com o acabamento black piano da cabine.
Inúmeros detalhes externos do conceito Renault MORPHOZ refletem a personalidade elétrica de sua motorização. Outros destacam a eficiência energética do veículo ou permitem que ele imponha sua personalidade.
LIVINGLIGHTS
O conceito Renault MORPHOZ apresenta uma nova assinatura luminosa que será vista nos futuros veículos elétricos da marca. Esta iluminação característica LIVINGLIGHTS se estende por todo o comprimento do para-choque. O MORPHOZ apresenta um visual diferente em cada modo de condução, Travel ou City. Neste último, aparecem “pupilas” que remetem aos faróis do Novo Captur.
Para-choque dianteiro
Graças ao motor elétrico que precisa apenas de um leve resfriamento, o MORPHOZ apresenta uma grade frontal fechada. E para mais eficiência aerodinâmica na estrada, as entradas de ar do para-choque ficam menores no modo Travel.
Aeradores
Na parte de cima do capô, dois aeradores high-tech fazem o resfriamento dos principais calculadores eletrônicos do veículo, localizados em torno do bloco do motor.
Retrovisor com câmera
Os retrovisores laterais foram substituídos no MORPHOZ por câmeras digitais HD. As imagens captadas são projetadas em telas internas e alimentam a inteligência artificial. Combinadas aos dados dos diferentes sensores externos, elas permitem alertar sobre qualquer perigo potencial ao condutor.
Logo
Os para-lamas dianteiros do conceito Renault MORPHOZ são adornados com um losango retroiluminado, deixando aparecer o nome do veículo no modo Travel.
Rodas aerodinâmicas
O conceito de fusão entre as rodas diamantadas e as calotas permite cobrir parcialmente os flancos dos pneus de 22’’ do conceito Renault MORPHOZ, para uma melhor fluidez visual. Estas rodas largas e totalmente fechadas permitem limitar as perturbações dos fluxos aerodinâmicos e melhorar a eficiência do veículo. Os pneus são otimizados para limitar a resistência à rolagem.
Flaps
Assim como acontece com os flaps laterais dos aviões de caça, a carroceria ativa do conceito Renault MORPHOZ fica alguns centímetros distanciada dos para-lamas traseiros, para permitir o deslizamento do chassi e a mudança de um modo para o outro, ao mesmo tempo em que é mantida a continuidade da superfície.
Colunas
A coluna traseira é um símbolo da modularidade do conceito Renault MORPHOZ. No modo City, ele exibe uma elegante combinação de linhas amarelas e pretas, semelhantes às do painel interno. Estas linhas são constituídas de duas superfícies separadas, que ficam visíveis apenas no modo Travel, quando o veículo fica mais alongado.
Para-choque traseiro
No modo City, o porta-malas traseiro do conceito Renault MORPHOZ fica recuado, para reduzir o balanço e facilitar a circulação e o estacionamento na cidade. Já no modo Travel ele assume uma forma mais esticada e aerodinâmica. Quando é feita a transformação, as linhas que formam o para-choque são cruzadas, fazendo aparecer o nome do veículo em filigrana.
Defletores
Dois defletores de ar ampliam a traseira do conceito Renault MORPHOZ, como prolongamento do fundo plano. Eles ficam ativos e se adaptam à distância do solo, permitindo máxima eficiência em quaisquer circunstâncias.
Faróis
Os faróis traseiros alongados do conceito Renault MORPHOZ criam um efeito de reflexo ondulado, formando uma faixa larga que amplia visualmente o veículo, marcando sua presença na pista.
Luz de freio
Assim como no conceito SYMBIOZ de 2017, a terceira luz de freio vertical do conceito Renault MORPHOZ é integrada de forma suspensa na lâmina do defletor aerodinâmico que prolonga o teto. Seus efeitos gráficos também são vistos no farol de neblina traseiro, localizado sob o para-choque.
Recarga
O conceito Renault MORPHOZ pode ser recarregado por indução. A recarga é feita em um local dedicado (em casa ou em um estacionamento público) ou ao passar sobre as vias equipadas com esta tecnologia.
Novo design característico, símbolo de sofisticação
Bastante elegante na versão City, a parte vertical localizada no para-lama dianteiro do MORPHOZ fica mais larga na versão Travel, quando a carroceria e o entre eixos do veículo ficam maiores. Apesar de ter a função principal de apresentar o medidor de capacidade das baterias embarcadas, a cor preta com toques de amarelo permite que ela se diferencie visualmente do restante da carroceria.
O elemento simboliza a maior autonomia e potência do veículo, além de maior sofisticação. Esta nova característica do design será vista em alguns dos futuros veículos elétricos da gama Renault.
Este item homenageia o rico passado histórico da Renault, lembrando a grade de ventilação lateral de vários modelos das décadas de 1910-1920 como o Type DG, uma época em que não havia necessidade de ventilação pela parte frontal, exatamente como nos carros elétricos atuais.
MORPHOZ: um veículo criado para oferecer mobilidade sustentável para todos
A revolução da mobilidade não está para acontecer, ela já começou nos meios de transporte, usos, tecnologias e campos de aplicação. Estas mutações normalmente se baseiam em inovações e escolhas, tanto dos poderes públicos – com regulamentações para reduzir o nível de CO2 emitidos pelos veículos novos, proibição de tráfego de veículos térmicos nos centros das cidades, etc. – como dos consumidores, que desejam adotar novos modos de transporte.
A revolução da mobilidade ficou mais verde, com a chegada das motorizações elétricas. Mas os veículos Zero Emissão não devem ser os únicos a promover esta revolução. Eles estão no coração do ecossistema elétrico, que inclui as baterias, infraestruturas, etc. A Renault percebeu esta revolução e deu um passo à frente, dando início a uma série de projetos estratégicos.
Também está havendo uma revolução nos usos. A Renault ainda acredita no futuro do carro pessoal, mas sabe que haverá novas formas de possuir e compartilhar um veículo, principalmente entre a família, amigos e vizinhos, segundo um conceito de visão de conjunto, com mais respeito pelas pessoas e o planeta.
E ainda existe uma revolução na ocupação geográfica. Daqui a alguns anos, 70% da população mundial estará vivendo nas cidades. As cidades estão se reinventando para se tornar Smart Cities, com novos conceitos de vida urbana, em torno dos pilares formados pelas infraestruturas, ferramentas digitais e energias descarbonizadas. O ecossistema das Smart Cities se estende até o conceito de comunidade urbana do futuro.
O MORPHOZ está no coração destes diferentes ecossistemas, oferecendo uma mobilidade mais sustentável, mas também mais compartilhada e inclusiva.
No coração de vários ecossistemas compartilhados
Simbolizando evoluções tecnológicas, societais, ambientais e comportamentais, o conceito Renault MORPHOZ está no coração de vários ecossistemas, com o objetivo em comum de seguir a noção de compartilhamento como princípio fundamental. A Renault já está profundamente engajada nestes sistemas em mutação, para acompanhar a revolução da mobilidade com seus produtos, serviços e soluções, com a estratégia de se tornar um fornecedor de soluções de mobilidades inteligentes para as cidades e regiões do futuro.
Ecossistema elétrico
O veículo elétrico tem um papel fundamental na transição energética, integrando um ecossistema elétrico a cada dia mais completo e inteligente. Seu uso ultrapassa a via pública e a residência onde é recarregado, como demonstrado pelo exemplo do ecossistema experimental inteligente da Ilha de Porto Santo, no Arquipélago da Madeira, em Portugal.
As baterias estão naturalmente no coração deste sistema. Já não é de hoje que o Grupo Renault trabalha para dar uma segunda vida às suas baterias, como no projeto “Advanced Battery Storage” ou no barco elétrico Black Swan. Com o conceito MORPHOZ, agora o Grupo está incluindo um novo aspecto – a dupla utilização das baterias.
Quando elas não estão sendo utilizadas em rodagem, as baterias do MORPHOZ continuam no carro, mas podem alimentar equipamentos da residência ou do entorno, por meio de dispositivos de recarga inteligente e da tecnologia bidirecional V2G (Vehicle to Grid). Quando são retiradas do veículo, as baterias do modo Travel são armazenadas em um posto de recarga, podendo ser utilizadas por outros veículos ou para alimentar equipamentos, como postos de recarga de bicicletas de aluguel ou a iluminação pública.
Uma montadora como a Renault tem o papel e a responsabilidade de se engajar na transição elétrica e fazer o possível para reduzir a pegada de carbono de seus veículos e soluções tecnológicas. Com o MORPHOZ e o sistema de compartilhamento de baterias, não é necessário produzir baterias para que cada veículo tenha uma capacidade nominal de 90 kWh, o que permite reduzir a pegada de carbono em favor do meio ambiente.
Ecossistema da família e da nova vizinhança
O MORPHOZ personifica o conceito de ME/WE (EU/NÓS), segundo o qual o que é meu também pode ser seu. Ele questiona a ideia de que um carro de passeio deve ser um objeto pessoal, propondo um uso compartilhado. Como atende a todas as necessidades e usos da família, nem sempre é preciso ter um segundo ou terceiro carro na residência. Não é mais necessário ter um modelo superdimensionado para um uso eventual.
Este veículo foi feito para a família, mas este sentido é ampliado à noção de comunidade. Ele atende as necessidades das novas formas de comunidade, construídas em torno de pilares como as infraestruturas digitais, recursos regenerativos e o bem-estar social. Como objeto de mobilidade individual que também promove o bem-estar coletivo ou da comunidade, ele é adaptado a novos conceitos de vida destas comunidades urbanas, assim como a tendência do coliving, no setor imobiliário.
No coração desta filosofia estão as funções de compartilhamento do MORPHOZ. O conceito antecipa não só o desaparecimento das chaves de contato e até mesmo dos cartões de abertura e travamento das portas, mas também a regulamentação que, sem dúvida, vai impor funções de compartilhamento em todos os veículos de passeio. Tudo passa pelo smartphone, que funciona como uma assinatura digital. Ele facilita o compartilhamento com outras pessoas, pois não é mais necessário trocar de chave, bastando receber um código de liberação que, assim que é ativado no smartphone, permite abrir e utilizar o veículo durante o período de tempo pré-determinado.
O Grupo Renault tem uma posição de liderança em serviços de mobilidade compartilhada, principalmente com o Renault Mobility e o Zity. O objetivo é favorecer o uso comunitário, que tem o potencial de facilitar o compartilhamento e melhorar o acesso à mobilidade – não apenas urbana. Esta visão de futuro permitirá responder às expectativas e necessidades de todos e o conceito MORPHOZ antecipa totalmente esta evolução.
Ecossistema das Smart Cities
Símbolo da visão do Grupo Renault para a mobilidade elétrica após 2025, o MORPHOZ se insere plenamente na transformação das cidades em Smart Cities, onde tecnologias conectadas, dados inteligentes e abertos, a Internet das Coisas, redes inteligentes, novos materiais e energias limpas podem ser utilizados para projetar e construir um futuro positivo. As demonstrações tangíveis incluem:
O MORPHOZ pode conviver em harmonia com os outros usuários da cidade. Suas funções de condução autônoma de nível 3 melhoram a segurança de todos, eliminando o fator humano responsável por 90% dos acidentes de trânsito*. Os sensores do veículo também detectam pedestres e ciclistas, alertando o condutor sobre sua presença no modo manual para evitar acidentes.
A motorização elétrica contribui para melhorar a qualidade do ar, além de permitir o acesso a zonas urbanas onde é proibido o trânsito de veículos equipados com motor térmico. O formato mais curto na versão City permite transitar pela cidade, ocupando um espaço menor tanto em rodagem como ao estacionar, além de facilitar o compartilhamento do espaço urbano com os outros usuários.
Graças ao sistema de postos de baterias, ele pode contribuir para a criação de uma autossuficiência energética local. As baterias que não estão em uso são armazenadas em postos de recarga, podendo alimentar infraestruturas, edifícios, serviços, etc. Ao armazenar energia renovável, elas permitem aliviar os picos de consumo, devolvendo energia à rede quando necessário. O compartilhamento também permite produzir um menor volume de baterias.
*dados da BCG de 2016
O ser humano no coração dos compromissos do Grupo Renault
Há mais de 120 anos, a Renault sempre colocou o ser humano no coração de suas preocupações, no projeto e concepção de seus veículos. Esta tendência destaca a vontade da marca de acompanhar as aspirações e necessidades de seus clientes durante toda a vida, permitindo criar verdadeiros carros para curtir, como os modelos Renault 16, Twingo, Scénic ou ainda o Espace.
Com o conceito MORPHOZ, mais uma vez esta filosofia assume todo o seu sentido – sendo até mesmo maximizada na cabine, onde tudo gira em torno do ser humano e das interações entre as pessoas. Graças à inteligência artificial, conectividade e também muita praticidade, o condutor e seus passageiros são mergulhados em uma atmosfera tranquila.
Conectividade e inteligência artificial com foco nas interações entre os passageiros
A bordo do Renault MORPHOZ, o condutor e seus passageiros desfrutam da cabine LIVINGSPACE, espaçosa e aconchegante. Confortavelmente acomodados em uma poltrona individual, eles são brindados com a inteligência artificial. Por meio da conectividade, o sistema se coloca a serviço dos passageiros respeitando suas necessidades, desejos e estados de humor, maximizando as interações e a sensação de bem-estar.
Comodidade acima de tudo
Bem-vindo a bordo
A inteligência artificial também fica ativa no exterior do veículo, utilizando sensores para detectar e reconhecer o condutor quando ele se aproxima. Ela acende as luzes nas portas para simbolizar o reconhecimento do condutor, que só precisa fazer um gesto com a mão para acionar a sequência de boas-vindas, como o destravamento e abertura das portas, posicionamento automático do banco e ajuste da iluminação interna às suas preferências e estado de humor. O condutor também é recebido com um sinal de voz do sistema de inteligência artificial.
Coluna vertebral
A cabine do conceito Renault MORPHOZ é atravessada por um console central mais alto, que representa o cérebro da inteligência artificial. Nesta verdadeira coluna vertebral, o condutor pode instalar o seu smartphone em um local dedicado, fazendo com que ele seja “absorvido” pelo painel de madeira do console, servindo de fonte de dados principal para que a inteligência artificial utilize – apenas mediante autorização do usuário – os dados e informações necessárias para realizar as diferentes tarefas.
Visualização
A inteligência artificial ajuda o condutor a visualizar o ambiente no entorno, por meio do tratamento, em tempo real, dos dados capturados pelos sensores externos e as imagens das câmeras do veículo, principalmente aquelas que substituem os retrovisores externos. Alertas luminosos do lado de dentro das portas e janelas informam sobre a presença de um pedestre ou ciclista em um ponto cego.
Assistente pessoal virtual proativo
Três modos de acionamento
A inteligência artificial do conceito Renault MORPHOZ funciona como um assistente pessoal virtual, podendo ser acionada e gerenciada de três maneiras: via touchscreen nas telas do painel ou do console, por meio de gestos das mãos ou por comando de voz.
Planejamento
Para um uso diário no modo City, a inteligência artificial melhora a eficiência da agenda do condutor durante a viagem, otimizando o trajeto e o tempo gasto entre dois compromissos ou reuniões. Ao utilizar o modo Travel, em uma viagem de férias, por exemplo, o sistema sugere pontos de interesse levando em conta o horário de chegada desejado e a autonomia restante, como é feito pelo planejador de rotas no modo elétrico já disponível no aplicativo MY Renault para os veículos elétricos Renault. Nos dois casos, é possível visualizar o trajeto em 3D na grande tela do painel de bordo.
Continuidade
Quando estão dentro do MORPHOZ, o condutor e os passageiros não se desligam da vida digital. Eles podem até continuar a ouvir individualmente suas músicas, graças à detecção personalizada de cada smartphone e aos alto-falantes integrados nos bancos. O sistema de navegação exibe automaticamente o trajeto programado em casa, além de enviar para o smartphone do condutor as instruções para que este termine os últimos metros do trajeto a pé, depois de estacionar.
Criando afinidades e interações
Autorização
A inteligência artificial do conceito Renault MORPHOZ pode detectar automaticamente os smartphones de cada passageiro para buscar dados. Entretanto, o sistema somente fará isso mediante uma autorização do usuário. A intimidade e a vida privada de um amigo que está dentro do veículo ou uma pessoa que utiliza o veículo na função de compartilhamento são automaticamente protegidas.
Tela de compartilhamento
A função social da inteligência artificial do conceito Renault MORPHOZ é evidenciada pela tela de compartilhamento localizada no console central, entre os bancos. Lá, os passageiros podem percorrer a biblioteca de músicas disponível a bordo utilizando o smartphone de qualquer um deles, ou se desafiar jogando videogame. Por meio desta tela também é possível ter acesso aos comandos de controle de conforto da cabine do sistema MULTI-SENSE.
Sugestões
A inteligência artificial não espera ser acionada pelos passageiros. O sistema pode sugerir a playlist da cabine em função do estado de humor e preferência de cada um, se adaptando a cada situação a partir de informações práticas como a agenda pessoal, além de detectar oportunidades em função das preferências e gostos individuais.
O espírito da Renault em 8 características
Na cabine do conceito Renault MORPHOZ, inúmeros itens remetem à filosofia “Easy Life”, à história e até mesmo ao futuro da Renault.
Volante da direção
O vidro transparente entremeado por linhas iluminadas que formam a parte interna do volante futurista acomoda botões de comando sensíveis ao toque com tecnologia háptica, incluindo os comandos de regulagem do sistema MULTI-SENSE.
Painel de bordo
O painel de bordo flutuante do conceito Renault MORPHOZ se estende sobre a parte dianteira da cabine até o nível dos painéis internos das portas, contornando os ocupantes. Graças à plataforma CMF-EV, ele avança até o para-brisa, sendo mais estreito que um painel de bordo habitual, beneficiando o espaço interno.
Sensível ao toque
O seletor do modo de condução dos veículos elétricos comuns é substituído por quatro botões táteis (P, R, N e D), localizados na parte superior do console, permitindo liberar espaço e facilitar os movimentos do condutor e do passageiro dianteiro.
LIVINGSCREEN
A tela LIVINGSCREEN do conceito MORPHOZ simboliza a inteligência que está no coração da interatividade a bordo do veículo. Com 80 centímetros de largura, esta tela com tecnologia OLED apresenta informações sobre a condução, navegação e infotainment. O dispositivo foi visto pela primeira vez nos carros-conceito TreZor, de 2016, e SYMBIOZ, de 2017.
Reciclagem
Assim como no tecido dos bancos do Novo ZOE, a cabine do conceito Renault MORPHOZ é feita com inúmeros materiais reciclados, como a madeira do assoalho, o plástico da parte interna das portas, o tecido dos bancos, etc. Eles foram concebidos/produzidos por empresas socialmente responsáveis, como Aggebo & Henriksen (Dinamarca), Gudbrandsdalens Uldvarefabrik AS (Noruega) e Plasticiet (Holanda).
Porta-objetos
Os aspectos práticos não foram esquecidos: os passageiros contam com um porta-objetos no console central.
Basculante
O banco do passageiro dianteiro pode girar, permitindo ficar de frente para os passageiros traseiros no modo Compartilhamento. Vale lembrar que a modularidade já estava presente na primeira geração do Espace, nos anos 80.
Ilusão
A impressão de movimento das linhas amarelas e pretas no assoalho do conceito Renault MORPHOZ remete ao universo da “Op-Art” do pintor Victor Vasarely, que realizou mais de quarenta obras durante sua parceria com a Renault.
Ficha técnica carro-conceito Renault MORPHOZ
Comprimento: 4,40 m (versão City) / 4,80 m (versão Travel)
Largura: 2 m
Altura: 1,55 m
Entre eixos: 2,73 m (versão City) / 2,93 m (versão Travel)
Motorização: 1 motor elétrico
Baterias: 40 kWh (versão City) / 90 kWh (versão Travel) Potência: 100 kW (versão City) / 160 kW (versão Travel) Recarga: indução estática e dinâmica
Tração: Dianteira
Conectividade interna: 5G
Conectividade com as infraestruturas: Wi-Fi G5
Sobre o Grupo Renault
Montadora de automóveis desde 1898, o Grupo Renault é um grupo internacional presente em 134 países, tendo vendido quase 3,8 milhões de veículos em 2019. O Grupo emprega atualmente mais de 180.000 colaboradores, tem 40 unidades industriais e 12.700 pontos de venda espalhados pelo mundo.
Para responder aos grandes desafios tecnológicos do futuro e manter sua estratégia de crescimento rentável, o Grupo se apoia no desenvolvimento internacional, na complementariedade de suas 5 marcas (Renault, Dacia, Renault Samsung Motors, Alpine e LADA), nos veículos elétricos e em sua inigualável aliança com a Nissan e a Mitsubishi Motors. Com uma escuderia 100% Renault participando do Campeonato Mundial de Fórmula 1 desde 2016, a marca faz do automobilismo esportivo um verdadeiro vetor de inovação e notoriedade.

Nenhum comentário

Deixe um comentário