Siga-nos:

Fiat lança Grand Siena preparado de fábrica com GNV

Compartilhar:

Versão de R$ 54.990 mantém garantia de um ano, mas o valor não inclui o kit gás 

Fiat passa a vender o Grand Siena 1.4 flex Attrractive preparado de fábrica para receber kit GNV, que mantém a garantia de um ano para kits de quinta geração instalados por empresas especializadas e certificadas pelo Inmetro. O preço sugerido para o carro é de R$ 54.990. Pode rodar com Gás Natural Veicular, etanol ou gasolina brasileira, com adição de etanol.
A lista de equipamentos não inclui o kit gás, somente a predisposição, mas o carro traz de série ar-condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros com acionamento elétrico, computador de bordo, predisposição para rádio e alerta de limite de velocidade, entre outros itens.

“O novo Grand Siena preparado de fábrica para a instalação do kit gás o torna ainda mais atrativo por oferecer o menor custo por quilômetro rodado entre os veículos de sua categoria e faixa de preço”, afirma o diretor comercial da Fiat para o Brasil, Herlander Zola.


O sedã tem porta-malas de 520 litros. O espaço é suficiente para dois cilindros mais bagagens. É o único veículo preparado de fábrica para utilizar GNV. Entre as modificações, o cabeçote do motor tem válvulas e sedes de válvulas produzidas com material mais resistente e com nova geometria, garantindo maior durabilidade.

Porta-malas de 520 litros permite o uso de dois cilindros sem que o espaço seja totalmente comprometido

O coletor de admissão foi projetado para receber os bicos injetores de gás. Segundo a Fiat, isso traz mais segurança e maior rendimento para a conversão porque melhora o enchimento do motor e a formação da mistura ar-combustível. A nova opção do Grand Siena foi desenvolvida para motoristas de táxi, de aplicativos ou que rodem grandes distâncias todos os dias.
Em 2006 a Fiat lançou uma versão semelhante do antigo Siena chamada Tetrafuel. Tinha esse nome porque podia rodar com gás, etanol e dois tipos de gasolina, com adição de etanol ou pura, o que permitia andar por outros países do Mercosul.

Fonte: Automotive Business

Nenhum comentário

Deixe um comentário