Siga-nos:

Comércio elimina vagas pelo segundo mês consecutivo

Compartilhar:

Comércio varejista do Estado de São Paulo voltou a eliminar vagas formais pelo segundo mês consecutivo

As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), elaborada com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Desempenho estadual
Em fevereiro, 5.858 empregos celetistas foram extintos, resultado de 70.351 admissões e 76.209 desligamentos. Com isso, o estoque ativo do setor atingiu 2.065.477 vínculos com carteira assinada, leve alta de 0,1% na comparação com o mesmo mês de 2017. No acumulado dos últimos 12 meses, o saldo foi positivo em 3.014 vagas.
Em fevereiro, entre as nove atividades pesquisadas, cinco apresentaram redução no estoque de trabalhadores no comparativo com o mesmo mês de 2017, com destaque para as lojas de móveis e decoração (-1,8%); e lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,6%). Por outro lado, os melhores desempenhos ficaram por conta dos segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (2,8%); e de farmácias e perfumarias (2,3%).
De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, o resultado de fevereiro foi pior do que o observado no mesmo mês de 2017 – quando 4.068 vínculos formais foram extintos – porém, vale ressaltar que o número de temporários contratados para o fim do ano também foi maior. A Entidade já esperava um desempenho negativo nesse início de ano, já que, após o Natal, é natural um ajuste no quadro de funcionários.
A Federação destaca que, mais uma vez, praticamente não houve efetivação dos temporários. Isso demonstra que o empresário ainda não possui otimismo ou capacidade suficientes para aumentar perenemente seu quadro funcional, por mais que a expectativa para 2018 seja de alta nas vendas do setor.

Comércio varejista da região do ABCD eliminou 184 vagas celetistas
Segundo a FecomercioSP, setor encerrou o mês com um estoque total de 110.049 trabalhadores formais, alta de 0,5% em relação a fevereiro de 2017
O comércio varejista da região do ABCD voltou a eliminar vagas celetistas em fevereiro. No mês, 184 postos de trabalho foram encerrados, resultado de 3.882 admissões contra 4.066 desligamentos. No acumulado de 12 meses, no entanto, o setor registrou 557 novos empregos com carteira assinada. Desta forma, a região encerrou o mês com um estoque total de 110.049 trabalhadores formais, alta de 0,5% em relação a fevereiro de 2017.
Das nove atividades pesquisadas, quatro registraram retração no estoque de trabalhadores formais em relação a fevereiro do ano passado. Os destaques negativos foram do setor de lojas de móveis e decoração (-3,4%); e de outras atividades (-1,3%). Por outro lado, os segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (3,6%) e de farmácias e perfumarias (1,9%) registraram as maiores taxas de crescimento na mesma base comparativa.

Região do ABCD
Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul.

Comércio varejista da região de Araçatuba fecha 42 vagas com carteira assinada

Segundo a FecomercioSP, cinco das nove atividades pesquisadas registraram mais desligamentos do que admissões no mês

Em fevereiro, o comércio varejista da região de Araçatuba encerrou 42 postos de trabalho formais, resultado de 1.260 admissões contra 1.302 desligamentos. No acumulado de 12 meses, porém, o setor criou 21 novos vínculos na região. Com isso, o varejo encerrou o mês com um estoque ativo de 34.902 trabalhadores formais, leve alta de 0,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado.
Entre as nove atividades pesquisadas, quatro tiveram variação positiva no estoque de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para os setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados (2,7%); e de concessionárias de veículos (2%). Por outro lado, as maiores taxas de retração foram registradas pelas atividades de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (-3,1%); e de materiais de construção (-2,1%).

Região de Araçatuba
Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Auriflama, Avanhandava, Barbosa, Bento de Abreu, Bilac, Birigui, Braúna, Brejo Alegre, Buritama, Castilho, Clementina, Coroados, Floreal, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal, General Salgado, Glicério, Guaraçaí, Guararapes, Guzolândia, Ilha Solteira, Itapura, Lavínia, Lourdes, Luiziânia, Magda, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Nova Castilho, Nova Independência, Nova Luzitânia, Penápolis, Pereira Barreto, Piacatu, Rubiácea, Santo Antônio do Aracanguá, Santópolis do Aguapeí, São João de Iracema, Sud Mennucci, Suzanápolis, Turiúba, Valparaíso, Zacarias.

Comércio varejista da região de Bauru fecha 287 vagas celetistas
Segundo a FecomercioSP, setor encerrou o mês com um estoque ativo de 74.422 trabalhadores formais, leve alta de 0,1% na comparação com o mesmo mês de 2017

O comércio varejista da região de Bauru fechou 287 postos de trabalho em fevereiro, resultado de 2.475 admissões contra 2.762 desligamentos. No acumulado de 12 meses, o varejo da região criou 67 vagas celetistas, encerrando fevereiro com um estoque ativo de 74.422 trabalhadores formais, leve alta de 0,1% em relação ao mesmo mês de 2017.
Das nove atividades analisadas, cinco tiveram elevação no estoque total de trabalhadores formais em relação a fevereiro do ano passado. Entre elas, destacam-se os setores de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (1,9%); e de lojas de vestuário, tecidos e calçados (1,4%). Dentre os segmentos que apresentaram queda no estoque total de vínculos, os destaques foram outras atividades (-2,8%); e materiais de construção (-1,1%).

Região de Bauru
Águas de Santa Bárbara, Agudos, Anhembi, Arandu, Arealva, Areiópolis, Avaí, Avaré, Balbinos, Bariri, Barra Bonita, Bauru, Bocaina, Bofete, Boraceia, Borebi, Botucatu, Brotas, Cabrália Paulista, Cafelândia, Cerqueira César, Dois Córregos, Duartina, Getulina, Guaiçara, Guaimbê, Guarantã, Iacanga, Iaras, Igaraçu do Tietê, Itaí, Itaju, Itapuí, Itatinga, Jaú, Lençóis Paulista, Lins, Lucianópolis, Macatuba, Mineiros do Tietê, Paranapanema, Pardinho, Paulistânia, Pederneiras, Pirajuí, Piratininga, Pongaí, Pratânia, Presidente Alves, Promissão, Reginópolis, Sabino, São Manuel, Taquarituba, Torrinha, Ubirajara, Uru.

Varejo da região de Campinas elimina 876 postos de trabalho
Segundo a Entidade, apesar do resultado, no acumulado dos últimos 12 meses, o varejo criou 1.242 novas vagas celetistas

Em fevereiro, o comércio varejista da região de Campinas eliminou 876 vagas celetistas, resultado de 6.821 admissões contra 7.697 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, 1.242 novos vínculos foram criados. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 196.809 trabalhadores, alta de 0,6% em relação ao mesmo período de 2017.
Das nove atividades analisadas, três tiveram redução no estoque total de trabalhadores formais em relação a fevereiro do ano passado, são elas: lojas de vestuário, tecidos e calçados (-3,9%); lojas de móveis e decoração (-3,4%); e outras atividades (-0,4%). Por outro lado, eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (2,6%) e supermercados (2,3%) apresentaram as maiores taxas de crescimento do estoque de vínculos na mesma base comparativa.

Região de Campinas
Águas de São Pedro, Americana, Araras, Artur Nogueira, Campinas, Capivari, Charqueada, Cordeirópolis, Cosmópolis, Elias Fausto, Engenheiro Coelho, Hortolândia, Indaiatuba, Iracemápolis, Leme, Limeira, Mombuca, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Piracicaba, Rafard, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Bárbara d'Oeste, Santa Cruz da Conceição, Santa Maria da Serra, São Pedro, Sumaré, Valinhos.

Comércio varejista da região de Guarulhos abre 79 postos de trabalho e é o único do Estado a gerar vagas em fevereiro
Segundo a FecomercioSP, varejo da região encerrou o mês com um estoque total de 103.746 trabalhadores formais, 2% superior ao mesmo período do ano passado, o melhor desempenho do Estado de São Paulo

O comércio varejista da região de Guarulhos gerou 79 novos empregos formais em fevereiro, resultado de 3.900 admissões contra 3.821 desligamentos. A região foi a única, entre as 16 pesquisadas no Estado de São Paulo, a abrir vagas celetistas no mês. Em um ano, 2.046 novos vínculos foram gerados pelo varejo, que encerrou o mês com um estoque ativo de 103.746 trabalhadores formais, alta de 2% em relação ao mesmo período de 2017, o melhor desempenho do Estado.
Das nove atividades analisadas, cinco apresentaram elevação no estoque total de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017. Os destaques ficaram por conta dos segmentos de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (8,2%); e de supermercados (5,1%). Destacaram-se negativamente os setores de lojas de móveis e decoração (-6,6%); e de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,4%).

Região de Guarulhos
Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mairiporã, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel, Suzano.

Comércio varejista da região de Jundiaí eliminou 280 postos de trabalho
Segundo a FecomercioSP, varejo da região encerrou o mês com estoque ativo de 103.147 trabalhadores formais, alta de 0,6% em relação a fevereiro de 2017
Em fevereiro, o comércio varejista da região de Jundiaí fechou 280 vagas com carteira assinada, resultado de 3.886 admissões contra 4.166 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, 593 novos vínculos foram gerados pelo setor. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com um estoque total de 103.147 trabalhadores formais, alta de 0,6% em relação ao mesmo período de 2017.
Das nove atividades analisadas, cinco apontaram crescimento no estoque total de empregos formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para os segmentos de autopeças e acessórios (2,3%); e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (2,1%). Entre os destaques negativos estão os setores de lojas de móveis e decorações (-6%); e de materiais de construção (-1,5%).

Região de Jundiaí
Águas de Lindoia, Amparo, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Campo Limpo Paulista, Conchal, Espírito Santo do Pinhal, Estiva Gerbi, Holambra, Itapira, Itatiba, Itupeva, Jaguariúna, Jarinu, Joanópolis, Jundiaí, Lindoia, Louveira, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Monte Alegre do Sul, Morungaba, Nazaré Paulista, Pedra Bela, Pedreira, Pinhalzinho, Piracaia, Santo Antônio da Posse, Santo Antônio do Jardim, Serra Negra, Socorro, Tuiuti, Vargem, Várzea Paulista, Vinhedo.

Varejo da região do Litoral fecha 463 vagas com carteira assinada
De acordo com a FecomercioSP, no acumulado dos últimos 12 meses, comércio varejista eliminou 335 postos de trabalho

O comércio varejista da região do Litoral fechou 463 vagas com carteira assinada em fevereiro, resultado de 2.370 admissões contra 2.833 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, o varejo da região eliminou 335 vínculos empregatícios e encerrou o mês com estoque ativo de 81.187 trabalhadores formais, queda de 0,4% em relação ao mesmo mês de 2017.
Entre as nove atividades analisadas, três apresentaram crescimento no estoque total de empregos formais em relação a fevereiro do ano passado, com destaque para o setor de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (4,5%); e de farmácias e perfumarias (1,7%). Por outro lado, os segmentos que registraram as maiores quedas no estoque total de trabalhadores formais foram os de lojas de vestuários, tecidos e calçados (-3,2%); e de materiais de construção (-2,3%).

Região do Litoral
Barra do Turvo, Bertioga, Cajati, Cananeia, Cubatão, Eldorado, Guarujá, Iguape, Ilha Comprida, Itanhaém, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Miracatu, Mongaguá, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Peruíbe, Praia Grande, Registro, Santos, São Vicente, Sete Barras.

Comércio varejista da região de Marília eliminou 36 postos de trabalho

De acordo com a Entidade, setor encerrou o mês com estoque ativo de 47.435 trabalhadores formais, alta de 0,8% em relação a fevereiro de 2017

Em fevereiro, o comércio varejista da região de Marília eliminou 36 vagas com carteira assinada, resultado de 1.645 admissões contra 1.681 desligamentos. No acumulado dos últimos doze meses, porém, o setor teve saldo positivo de 354 vínculos empregatícios, resultando em um estoque total de 47.435 trabalhadores formais, alta de 0,8% em relação ao mesmo período de 2017.
Das nove atividades pesquisadas, seis registraram retração no estoque de trabalhadores formais em relação a fevereiro do ano passado, com destaque para o setor de lojas de móveis e decoração (-3,2%); e de concessionárias de veículos (-1,7%). Por outro lado, os segmentos de farmácias e perfumarias (3,5%) e de supermercados (2,7%) foram os destaques positivos na mesma base comparativa.

Região de Marília
Álvaro de Carvalho, Alvinlândia, Arco-Íris, Assis, Bastos, Bernardino de Campos, Borá, Campos Novos Paulista, Cândido Mota, Canitar, Chavantes, Cruzália, Echaporã, Espírito Santo do Turvo, Fartura, Fernão, Florínea, Gália, Garça, Herculândia, Iacri, Ibirarema, Ipaussu, Júlio Mesquita, Lupércio, Lutécia, Manduri, Maracaí, Marília, Ocauçu, Óleo, Oriente, Oscar Bressane, Ourinhos, Palmital, Paraguaçu Paulista, Pedrinhas Paulista, Piraju, Platina, Pompeia, Quatá, Queiroz, Quintana, Ribeirão do Sul, Salto Grande, Santa Cruz do Rio Pardo, São Pedro do Turvo, Sarutaiá, Taguaí, Tarumã, Tejupa, Timburi, Tupã, Vera Cruz.

Osasco cai 1,4% em relação a fevereiro de 2017, o pior desempenho do Estado
Segundo a FecomercioSP, comércio varejista da região fechou 528 postos de trabalho formais em fevereiro

Em fevereiro, o comércio varejista da região de Osasco fechou 528 postos de trabalho, saldo de 4.575 admissões e 5.103 desligamentos. No acumulado dos últimos doze meses, o saldo negativo é de 1.868 empregos. Desta forma, o setor encerrou o mês com estoque total de 132.087 trabalhadores formais, queda de 1,4% na comparação com o mesmo mês de 2017, o pior desempenho do Estado de São Paulo entre as 16 regiões analisadas.
Entre as nove atividades analisadas, três apresentaram elevação no estoque total de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para o setor de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (1,6%); e de farmácias e perfumarias (0,7%). Já os segmentos de lojas de móveis e decoração (-5,8%) e outras atividades (-4,7%) registraram os piores desempenhos na mesma base comparativa.

Região de Osasco
Barueri, Caieiras, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu, Embu Guaçu, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapecerica da Serra, Itapevi, Jandira, Juquitiba, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana do Parnaíba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista.

Varejo da região de Presidente Prudente fechou 246 postos de trabalho
Segundo a Entidade, setor encerrou o mês com um estoque total de 37.759 empregos celetistas, queda de 1,2% na comparação com o mesmo mês de 2017, o segundo pior desempenho do Estado
O comércio varejista da região de Presidente Prudente eliminou 246 postos de trabalho em fevereiro, resultado de 1.055 admissões contra 1.301 desligamentos. No acumulado dos últimos doze meses, 447 vagas celetistas foram extintas. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 37.759 trabalhadores formais, queda de 1,2% em relação ao mesmo período de 2017, o segundo pior desempenho entre as 16 regiões analisadas.
Das nove atividades analisadas, cinco apresentaram redução no estoque de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para as concessionárias de veículos (-6,6%); e lojas de vestuário, tecidos e calçados (3,7%). Entre os segmentos que tiveram aumento no estoque total de trabalhadores estão os de lojas de móveis e decoração (1,1%); farmácias e perfumarias; eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos; e supermercados (todos com 0,7%).

Região de Presidente Prudente
Adamantina, Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas, Caiabu, Caiuá, Dracena, Emilianópolis, Estrela do Norte, Euclides da Cunha Paulista, Flora Rica, Flórida Paulista, Iepê, Indiana, Inúbia Paulista, Irapuru, João Ramalho, Junqueirópolis, Lucélia, Marabá Paulista, Mariápolis, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Monte Castelo, Nantes, Narandiba, Nova Guataporanga, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Pacaembu, Panorama, Parapuã, Pauliceia, Piquerobi, Pirapozinho, Pracinha, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Rinópolis, Rosana, Sagres, Salmourão, Sandovalina, Santa Mercedes, Santo Anastácio, Santo Expedito, São João do Pau d'Alho, Taciba, Tarabai, Teodoro Sampaio, Tupi Paulista.

Comércio varejista da região de Ribeirão Preto elimina 82 postos de trabalho formais
Segundo a FecomercioSP, no acumulado de 12 meses, porém, o setor criou 732 vínculos celetistas

Em fevereiro, o varejo da região de Ribeirão Preto fechou 82 postos de trabalho formais, resultado de 4.882 admissões contra 4.964 desligamentos. No acumulado de 12 meses, no entanto, o setor criou 732 vagas celetistas. Com isso, o comércio varejista da região encerrou o mês com estoque total de 141.024 trabalhadores com carteira assinada, alta de 0,5% em relação ao mesmo período de 2017.
Das nove atividades analisadas, seis apontaram crescimento no estoque total de empregos formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (5,7%); e lojas de móveis e decoração (2,5%). Na mesma base comparativa, destacaram-se negativamente os segmentos de materiais de construção (-3,1%); e de concessionárias de veículos (-1,2%).

Região de Ribeirão Preto
Aguaí, Águas da Prata, Altinópolis, Aramina, Barretos, Barrinha, Batatais, Bebedouro, Brodowski, Caconde, Cajuru, Casa Branca, Cássia dos Coqueiros, Colina, Colômbia, Cravinhos, Cristais Paulista, Divinolândia, Dumont, Franca, Guaíra, Guará, Guariba, Guatapará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Itobi, Ituverava, Jaborandi, Jaboticabal, Jardinópolis, Jeriquara, Luiz Antônio, Miguelópolis, Mococa, Monte Azul Paulista, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Restinga, Ribeirão Corrente, Ribeirão Preto, Rifaina, Sales Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, Santo Antônio da Alegria, São João da Boa Vista, São Joaquim da Barra, São José da Bela Vista, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho, Taiaçu, Taiúva, Tapiratiba, Taquaral, Terra Roxa, Vargem Grande do Sul, Viradouro.

Comércio varejista da região de São José do Rio Preto eliminou 258 vagas celetistas
Segundo a FecomercioSP, setor encerrou o mês com estoque total de 80.129 trabalhadores formais, alta de 0,6% em relação a fevereiro de 2017

Em fevereiro, o comércio varejista da região de São José do Rio Preto eliminou 258 postos de trabalho, resultado de 2.720 admissões contra 2.978 desligamentos. No acumulado de 12 meses, porém, o setor registrou 500 novos vínculos com carteira assinada. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com um estoque total de 80.129 trabalhadores, aumento de 0,6% na comparação com o mesmo período de 2017.
Das nove atividades pesquisadas, quatro apresentaram aumento no estoque total de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017, com destaque para lojas de móveis e decoração (4,1%); e eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (3,6%). Por outro lado, os piores desempenhos na mesma base comparativa ficaram por conta dos segmentos de materiais de construção (-1,6%); e de autopeças e acessórios (-0,9%).

Região de São José do Rio Preto
Adolfo, Altair, Álvares Florence, Américo de Campos, Aparecida d'Oeste, Ariranha, Aspásia, Bady Bassitt, Bálsamo, Cajobi, Cardoso, Catanduva, Catiguá, Cedral, Cosmorama, Dirce Reis, Dolcinópolis, Elisiário, Embaúba, Estrela d'Oeste, Fernandópolis, Guapiaçu, Guaraci, Guarani d'Oeste, Ibirá, Icém, Indiaporã, Ipiguá, Irapuã, Itajobi, Jaci, Jales, José Bonifácio, Macaubal, Macedônia, Marapoama, Marinópolis, Mendonça, Meridiano, Mesópolis, Mira Estrela, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Neves Paulista, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Canaã Paulista, Nova Granada, Novais, Novo Horizonte, Olímpia, Onda Verde, Orindiúva, Ouroeste, Palestina, Palmares Paulista, Palmeira d'Oeste, Paraíso, Paranapuã, Parisi, Paulo de Faria, Pedranópolis, Pindorama, Planalto, Poloni, Pontalinda, Pontes Gestal, Populina, Potirendaba, Riolândia, Rubineia, Sales, Santa Adélia, Santa Albertina, Santa Clara d'Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita d'Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, São João das Duas Pontes, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Severínia, Tabapuã, Tanabi, Três Fronteiras, Turmalina, Ubarana, Uchoa, União Paulista, Urânia, Urupês, Valentim Gentil, Vitória Brasil, Votuporanga.

Comércio varejista da região de Sorocaba fechou 559 vagas com carteira assinada
De acordo com a FecomercioSP, o setor encerrou o mês com estoque total de 111.012 trabalhadores formais, estável em relação a fevereiro de 2017

Em fevereiro, o comércio varejista da região de Sorocaba fechou 559 postos de trabalho, resultado de 3.888 admissões contra 4.447 desligamentos. No acumulado de 12 meses, porém, o saldo foi positivo, com geração de 32 vagas com carteira assinada. Com isso, o setor encerrou o mês com um estoque total de 111.012 trabalhadores formais e se manteve estável no comparativo com o mesmo período de 2017.
Entre as nove atividades analisadas, cinco apresentaram elevação no estoque total de trabalhadores na comparação com fevereiro do ano passado, com destaque para: autopeças e acessórios (3%); e farmácias e perfumarias (1,2%). Destacaram-se negativamente os segmentos de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-1,7%); e de materiais de construção (-0,7%), na mesma base comparativa.

Região de Sorocaba
Alambari, Alumínio, Angatuba, Apiaí, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Barão de Antonina, Barra do Chapéu, Boituva, Bom Sucesso de Itararé, Buri, Cabreúva, Campina do Monte Alegre, Capão Bonito, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Conchas, Coronel Macedo, Guapiara, Guareí, Ibiúna, Iperó, Iporanga, Itaberá, Itaoca, Itapetininga, Itapeva, Itapirapuã Paulista, Itaporanga, Itararé, Itu, Jumirim, Laranjal Paulista, Mairinque, Nova Campina, Pereiras, Piedade, Pilar do Sul, Porangaba, Porto Feliz, Quadra, Ribeira, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sarapuí, Sorocaba, Tapiraí, Taquarivaí, Tatuí, Tietê, Torre de Pedra, Votorantim.

Varejo da região de Taubaté fechou 781 vagas celetistas
De acordo com a FecomercioSP, seis das nove atividades analisadas registraram retração no estoque de trabalhadores formais em relação a fevereiro de 2017
O comércio varejista da região de Taubaté eliminou 781 postos de trabalho formais em fevereiro, resultado de 3.344 admissões contra 4.125 desligamentos. No acumulado de 12 meses, o setor fechou 1.026 vagas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com estoque total de 99.528 trabalhadores formais, queda de 1% em relação ao mesmo período de 2017.
Das nove atividades analisadas, apenas três apresentaram aumento no estoque total de trabalhadores em relação a fevereiro de 2017, com destaque para eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (4,6%); e autopeças e acessórios (2,4%). Por outro lado, os segmentos de lojas de móveis e decoração (-5,2%) e de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-3,4%) tiveram as maiores quedas no estoque de empregados na mesma base comparativa.

Região de Taubaté
Aparecida, Arapeí, Areias, Bananal, Caçapava, Cachoeira Paulista, Campos do Jordão, Canas, Caraguatatuba, Cruzeiro, Cunha, Guaratinguetá, Igaratá, Ilhabela, Jacareí, Jambeiro, Lagoinha, Lavrinhas, Lorena, Monteiro Lobato, Natividade da Serra, Paraibuna, Pindamonhangaba, Piquete, Potim, Queluz, Redenção da Serra, Roseira, Santa Branca, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, São José do Barreiro, São José dos Campos, São Luiz do Paraitinga, São Sebastião, Silveiras, Taubaté, Tremembé, Ubatuba.

Nota metodológica
A Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo) analisa o nível de emprego do comércio varejista. O campo de atuação está estratificado em 16 regiões do Estado de São Paulo e nove atividades do varejo: autopeças e acessórios; concessionárias de veículos; farmácias e perfumarias; lojas de eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamentos; materiais de construção; lojas de móveis e decoração; lojas de vestuário, tecidos e calçados; supermercados; e outras atividades. As informações são extraídas dos registros do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e do impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 138 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro -, gerando em torno de 10 milhões de empregos.
Mais informações:
Assessoria de imprensa FecomercioSP
Clarisse Ferreira - 
cferreira@fecomercio.com.br
(11) 3254-1701
Aline Carvalho - 
acbatista@fecomercio.com.br
(11) 3254-1703
Raíza Dias - 
raiza.dias@tutu.ee
(11) 3254-1702
Ana Paula Fonseca - 
anapaula.fonseca@tutu.ee
(11) 94291-8055
Aline Queiroz - 
aline.queiroz@tutu.ee
(11) 96860-1503
Lilian Michelan - 
lilian.michelan@tutu.ee
(11) 94136-0648
Andrea Ramos Bueno - 
andrea.bueno@tutu.ee
(11) 94227-4514
Siga a FecomercioSP no Twitter - 
www.twitter.com/fecomercio
Conheça nossa página no Facebook - 
www.facebook.com/fecomercio

Nenhum comentário

Deixe um comentário