Siga-nos:

Abraciclo revisa projeções

Compartilhar:

Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, apresentou novas projeções durante Salão Duas Rodas, que acontece em São Paulo (Foto: Mario Curcio).

Abraciclo, associação que reúne os fabricantes de motocicletas, ciclomotores, motonetas, bicicletas e similares, revisou as projeções para 2013 para baixo na terça-feira, 8, diante das quedas observadas tanto na produção quanto na venda de motos no período de janeiro a setembro. 
De acordo com números apurados pela Abraciclo, as vendas de motocicletas nos primeiros nove meses tiveram retração de 9,1% sobre igual período de 2012, com 1,12 milhão de emplacamentos. Somente em setembro último, 117,7 mil delas foram entregues, o que representa uma queda de 8,8% sobre o mesmo mês de 2012. O volume de financiamentos, por sua vez, caiu 20,5%, de 497,1 mil de janeiro a setembro de 2012 para 395,2 mil motos financiadas no mesmo intervalo de 2013. 
As vendas no atacado também diminuíram no acumulado do ano, 7,2%, para 1,19 milhão de unidades. O resultado só não foi pior porque houve alta de 10,7% em setembro, quando 142,8 mil unidades foram comercializadas. 
Como consequência da demanda mais fraca de mercado, a produção de motocicletas anotou retração de 6,9% nos primeiros nove meses em relação ao ano passado, chegando a 1,2 milhão de motos produzidas. De agosto para setembro, a queda na produção foi de 4,7%. 

PROJEÇÕES 
Diante do cenário negativo, Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, aponta que a produção de motos deve cair 4,7% de 2012 para 2013, de 1,69 para 1,61 milhão de unidades. No início de 2013, a Abraciclo esperava alta de 5%. Durante o ano revisou a projeção para estabilidade. Agora, reverteu totalmente a projeção. 
Para as vendas no varejo, que antes era prevista estabilidade, é esperada retração de 6,6%, passando de 1,6 milhão em 2012 para 1,53 milhão este ano. No atacado, a queda deverá chegar a 4%, para 1,56 milhão de motos, segundo os cálculos da associação. 
As exportações, que tiveram leve queda de 0,4% de janeiro a setembro em relação ao mesmo intervalo de 2012, não deverão ultrapassar 105 mil unidades em 2013.

 

Fonte: Automotive Business - CAMILA FRANCO

Nenhum comentário

Deixe um comentário